[Resenha] - O Exorcista - William Peter Blatty

Editora: Agir
Edição de 40º aniversário
Lançamento: 2013 
Gênero: Ficção de terror americana
Tradução: Carolina Caires Coelho
Páginas: 331
ISBN: 978-85-2201-382-1

"Assim como o brilho breve dos raios de sol não é notado pelos olhos dos homens cegos, o começo do horror passou despercebido; com o guincho do que ocorreu em seguida, o início foi, na verdade, esquecido e talvez não relacionado de forma alguma ao horror. Era difícil saber."

E assim inicia-se a estória de Chris MacNeil e sua filha de doze anos, Regan. As duas tinham uma vida tranquila e muito feliz. Chris e Regan faziam tudo juntas, desde ir ao cinema até realizar o passatempo preferido de Regan, que era brincar com um tabuleiro Ouija esquecido no porão. A menina sempre dizia poder se comunicar com seu amigo imaginário através do tabuleiro, mas Chris nunca acreditou que aquilo poderia ser algo perigoso.

Até a noite em que Regan vai até a mãe e relata que coisas estranhas estão acontecendo em seu quarto. Móveis fora do lugar. Batidas nas paredes e sons estranhos vindos do sótão. O chacoalhar da cama todas as noites. 

Os dias vão se passando e Regan começa a adquirir outra personalidade, tornando-se uma pessoa completamente estranha para a mãe. Acreditando que a filha está gravemente doente, Chris vai com Regan a vários médicos, mas nenhum deles sabe explicar com exatidão o que a menina tem.

Sem saber mais o que fazer, Chris recorre ao padre Karras pedindo que ele vá até sua casa para ajudar Regan. Após uma avaliação minuciosa, Karras diz a Chris que Regan precisa de um ritual de exorcismo e começa a colher provas para conseguir a autorização da Igreja.

Eu já havia assistido "O exorcista" há muito tempo, mas não me lembrava de absolutamente nada da estória, por isso, de certa forma, a leitura do livro foi uma coisa nova para mim, como se eu estivesse entrando em toda essa trama pela primeira vez.

"O oculto é algo diferente. Eu me mantive longe disso. Acredito que mexer com ele pode ser perigoso. E isso inclui mexer num tabuleiro Ouija. [...] Em muitas histórias que eu já ouvi sobre centros espíritas, todos eles parecem apontar para a abertura de uma porta de algum tipo. [...] Se eu estou certa, talvez a ponte entre os dois mundos seja o que você mesma acabou de mencionar, o subconsciente. Só sei que coisas parecem acontecer. E, minha querida, há hospícios no mundo todo repletos de pessoas que mexeram com o oculto." (página 82)

Para quem é fã desse tipo de literatura mais paranormal e assustadora, que dá aquele friozinho na espinha, "O exorcista" é o livro perfeito. Eu acho livros assim muito interessantes, talvez por que, como citado no trecho acima, "o oculto" é algo que ninguém tem muito conhecimento sobre, é uma coisa ainda muito cheia de mistérios, e de certa forma, isso chega a ser um atrativo a mais (pelo menos para mim), além de que muitos outros trechos se encaixam no que eu penso a respeito dessa coisa de paranormalidade. "[...] há hospícios no mundo todo repletos de pessoas que mexeram com o oculto." Como afirmar com certeza que as pessoas que estão nesses lugares são de fato, loucas? Quantas vezes não vimos reportagens sobre pessoas que cometeram crimes horríveis e disseram que foram "as vozes que mandaram"? Ou pessoas que passaram a apresentar dupla personalidade, falando coisas sem nenhum sentido e por isso foram enviadas para hospícios? Eu já vi várias. Pode ser, como pode não ser. E é isso que eu quero dizer, não conhecemos as forças desse lado oculto, não temos como saber o poder que talvez ele possa exercer sobre nós. Por isso acho que esse assunto é delicado e precisa se ter uma mente aberta para discuti-lo. 


São raríssimas as pessoas que eu conheço que gostam desse assunto tanto quanto eu. Consigo contar nos dedos de uma só mão as pessoas que eu sei que leriam "O exorcista" ou assistiriam filmes como "Invocação do Mal" ou "O exorcismo de Emily Rose". Em geral, meus amigos que têm medo dizem que sou louca por assistir/ler "essas coisas"... Mas o que eu posso fazer? rs

"O exorcista" já te prende pela capa. O jogo de luz e sombra proporcionado pela imagem dá um toque de terror a mais e é o suficiente para você decidir se vai ter coragem para ler ou não. Basicamente, a capa já traz uma noção do que o espera nas próximas 331 páginas.

O livro todo é narrado em terceira pessoa e a narrativa é muito profunda e realista, o que torna o livro ainda mais impactante. Acho que todos aqui já passaram por aquela situação de estar lendo um livro e ter certa dificuldade de imaginar as coisas, os lugares e as pessoas. Isso acontece comigo de vez em quando, mas não foi o caso com esse livro. Eu vi tudo claramente na minha mente, cada cômodo da casa das MacNeil, cada acontecimento paranormal no quarto de Regan. Tudo.

"Chris estava prestes a dizer outra coisa quando percebeu que Sharon havia inclinado a cabeça um pouco para o lado, distraída, como se estivesse ouvindo. Seguindo seu olhar, Chris também ouviu: o silêncio; a pausa nas vociferações do demônio; mas algo mais... algo além... que crescia. As mulheres se entreolharam. - Está sentindo também? - perguntou Sharon. Chris assentiu. Algo na casa. Uma tensão. Um pulsar gradual e o peso no ar, como energias opostas crescendo lentamente." (página 292)
É interessante como muitos filmes e livros frisam em determinados pontos da mesma forma. Muitos trechos que li em "O exorcista" já tinha visto em vários outros filmes sobre o assunto, como se todos estivessem, de certa forma, interligados. Um exemplo disso é o tão famoso tabuleiro Ouija (já citado no começo da resenha). Muitos filmes retratam os perigos "que essa simples brincadeira" pode trazer e nesses mesmos filmes, as coisas sempre pioram depois que alguém usa um desses tabuleiros. Por isso que, lendo "O exorcista" eu fiquei chocada com o fato de Chris MacNeil deixar a própria filha brincar todos os dias com uma coisa assim. Do meu ponto de vista, o tabuleiro foi a porta para tudo o que veio a acontecer com Regan no desenrolar da estória.

 "Uma história incrível... Intensa, forte e completamente viciante, uma combinação hipnótica de lição de moral e história de investigação sobrenatural. Uma parábola de nossos tempos, uma conquista surpreendente." - The London Sunday Express

Bom, se você leu essa resenha até o final, ou até mesmo se clicou no link para ler, provavelmente é por que gosta de livros de terror, então eu digo: "O exorcista" é um livro que não pode faltar na sua coleção!


9 comentários:

  1. Quero muito ler, é um clássico sem dúvidas! Quero ver se encontro em algum sebo online.
    http://coisasdeumleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Marina, olha só que descoberta legal, vc gosta de terror! Eu tbem acho muito atrativo esse genero, já assisti muitos filmes de terror, O Exorcismo de Emily Rose é fantastico! Tenho alguns livros de terror/suspense na minha lista, te recomendo entao: Caixa de Pássaros, O Demonologista e a trilogia dos Espinhos (Prince of Thorns, King of Thorns e Emperor of Thorns). Ainda nao li nenhum dos cinco( tenho a trilogia dos Espinhos, começando a ler hoje...), mas já li resenhas em blogs de livros especializados em terror, e os cinco sao considerados top! Espero que leia algum desses, depois me conte sua opiniao, e eu conto a minha. Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah eu exclui um comentario por q tinha escrito seu nome errado, kkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Olá Gustavo!! Então você é um dos meus, que legal!! Não só em termos de livros, mas de filmes também. "O exorcismo de Emily Rose" é o meu preferido do gênero, pois na minha opinião, é o mais realista e por isso, o mais impactante que já vi.
      Nossa, adorei saber sobre todos esses livros que me indicou, vou anotar o nome de todos e começar a procurar! Beijo!

      Excluir
  4. Adorei sua resenha!! Sou apaixonada pelo sobrenatural, ao mesmo tempo que sou muito medrosa.. rsrsrsrs..
    Acabei de comprar o livro e estou aguardando a entrega, meu exemplar tem uma capa diferente dessa, mas mesmo assim me fez ficar olhando, tirei e coloquei no carrinho varias vezes, efetuei a compra, imprimi o boleto e quase cancelei! Siim, estou com receio de ler o livro e algo bizarro acontecer, sei que é um pensamento bobo mas vai que.. rsrsrs
    Beijos,
    Ariane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ariane, como vai!?
      Obrigada, fico feliz que tenha gostado!
      Não desista do livro, não! Eu enrolei muito para comprá-lo... Sempre ia na livraria e via um exemplar, mas acabava deixando para a próxima. Quando finalmente comprei e li, me arrependi de não ter feito isso antes!

      Haha sei o que quer dizer, há alguns anos eu tinha um pouco de medo também, mas é tudo coisa da nossa mente... Com o tempo, passa... rsrsrs
      Beijos!

      Excluir
  5. Não é o melhor, mas é muito divertido. Estou no final com medo, mas eu gosto de terror ou suspense histórias e filmes exorcismos. Recentemente, vi The Vatican Tapes não geralmente pensam que é liberado em queda livre bater a cada clichês imagináveis em uma história de horror. De tudo isso, o mais interessante é uma cena em que ela cospe três ovos que representam a Santíssima Trindade. Poderíamos dizer que há material para contar uma história interessante, mas certamente com intenções não é suficiente. "Exorcistas No Vaticano" poderia ter tido melhor destino se o tom geral do filme era crua e cheia de deboche.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.