Resenhas Recentes ♥

[Resenha] - O menino no alto da montanha - John Boyne

ISBN-13: 9788555340123
ISBN-10: 8555340128
Ano: 2016 / Páginas: 225
Idioma: português 
Editora: Seguinte

Pierot é um menino de 7 anos que vive em Paris com sua mãe. Seu pai, que era Alemão, morreu anos antes ao se jogar na linha do trem, ele nunca superou o que viu na Primeira Grande Guerra. O ano é 1936 e todos estão aflitos com o rumo que a Europa está seguindo. Mas Pierot não tem idade suficiente para enxergar isso. 


Anshel é o melhor amigo de Pierot, mas ele é Judeu e embora nenhum dos dois saibam ainda o que isso exatamente quer dizer eles já sofrem com as consequências. 
Quando a mãe de Pierot morre de tuberculose ele é enviado para um Orfanato e mais tarde sua tia Beatrix o leva para morar com ela. Entretanto, ela é nada mais nada menos do que governanta de Adolf Hitler. Aos poucos Pierot passa a se interessar pela causa Alemã e logo se junta a Juventude Alemã, completamente corrompido pelo poder e pelo que esse poder lhe daria.

O livro se passa em 9 anos, e podemos ver claramente a mudança na personalidade de Pierot, principalmente quando Hitler começa a lhe contar como a Alemanhã foi prejudicada e como ele retomaria todo o poder perdido. Pierot passa a ser agressivo e autoritário, sendo responsável por vários crimes. 
É inevitável ficar com raiva do personagem, porque a gente conhece toda a história da Segunda Guerra Mundial e do Holocausto. Embora seja uma criança, ele passa a ter gosto pelo poder que supostamente ser membro da Juventude Alemã o dá. E por isso ele se afasta de seu amigo Anshel, de sua tia Beatrix de de todos que o trataram bem quando ele chegou na casa do alto da montanha. 

"Foi Pierrot quem se levantou da cama naquela manhã, mas foi Pieter quem se deitou á noite, caindo de sono logo em seguida."

A narrativa de John Boyne é surpreendente. É um daqueles livros de linguagem fácil e leve que você consegue ler em qualquer momento. E embora a gente já conheça exatamente como a guerra terminará nós também queremos saber qual vai ser o destino de Pierot nessa historia toda e principalmente depois de tudo o que ele fez de ruim. 
Ao longo do livro torcemos muito pra ele perceber o que está acontecendo e voltar as origens, mas ele é apenas um menino Alemão que ouve histórias perigosas da boca do próprio Adolf Hitler, então é fácil entender como ele é tão rapidamente corrompido. 

"- Olhe pra mim, Pieter. Olhe pra mim. Ela levantou os olhos cheios de lagrimas: - Não finja que não sabia o que estava acontecendo aqui."

O livro nos mostra, como raramente faz, a versão Alemão da história, como eram os pensamentos de quem estava do outro lado da guerra e muitas vezes nem sabe tantos detalhes como sabemos hoje. A verdade é que na época os campos de concentração não pareciam tão ameaçadores como sabemos que são hoje, por isso achei uma leitura muito interessante. Embora tenha me retirado muitos sentimentos ruins, não tem como não sentir raiva de Pierot e nem desprezo pela pessoa que ele se transforma. 

O menino do alto da montanha é um livro emocionante que nos arranca sentimentos múltiplos e contraditórios, exatamente como aquilo que a gente tenta mas não consegue entender que a humanidade foi e é capaz de fazer. 

Os livros mais esperados de 2017


Olá leitores.
Como é de praxe, nós do Leitura Virtual, em todo começo de um novo ano, gostamos de postar quais foram as melhores leituras que tivemos no ano anterior, as que mexeram mais com a gente, que nos fizeram apaixonar. E assim o fizemos agora também, mas o assunto aqui não é esse. Mantendo a mesma linha de raciocínio - hehe - nós resolvemos preparar uma outra lista para vocês, dessa vez a nossa lista dos esperados de 2017. Aqueles livros que já estão oficialmente previstos para este novo ano ou aqueles que ainda não possuem uma data de lançamento, mas que torcemos do fundo do coração para que venham nos alegrar ainda nestes doze meses. Vamos conferir?




- Os desejados de 2017: Marina - 

1° desejado: A Filha do Norte (volume 2) - Luisa Soresini
Quem acompanha o blog sabe o quanto o primeiro volume mexeu comigo e o quanto ele é meu amorzinho. Por isso é que este segundo volume está no primeiro lugar dos meus desejados de 2017! Com previsão de início da pré-venda para março (tá chegando!! *-*) eu mal posso esperar para ter um exemplar deste livro maravilhoso na minha estante, para guardar com todo o amor e carinho que ele merece. Por minha função de leitora beta, posso dizer que estou muito feliz com o rumo que tudo tomou e por isso estou contando os dias para março, em que eu serei muito feliz! 

2° desejado: Querubins (volume 3) - Martha Ricas
O meu segundo livro desejado para 2017 é o terceiro volume da saga Querubins, que vai nos contar sobre Salatiel. Os personagens principais desta saga compõem um trio e cada um dos livros fala sobre um deles. Já conhecemos até agora Chaya e Ashira, duas personagens encantadoras, e eu não vejo a hora de poder conhecer mais a fundo o último querubim, que por suas breves aparições nos livros anteriores, já se tornou muito especial para os leitores! 

3° desejado: Famous in Love (volume 2) - Rebecca Serle
Começo a falar do meu terceiro desejado de 2017 fazendo um pequeno apelo à editora Novo Conceito: por favor, por favor, por favor! Li o primeiro volume desta trilogia em 2015 e só quem é fã de tal história sabe a angústia, o desespero que é ficar sem poder saber o que vai acontecer com aquele/a personagem, aquele casal que você torce tanto para terminar feliz! O primeiro livro, "Tocando as estrelas", terminou de uma forma que me deixou extremamente ansiosa para saber sua continuação e, bom... Já convivo com essa ansiedade há quase dois anos (rs). Então espero muito, mas muito mesmo, que o segundo saia ainda em 2017 para minha felicidade.  

4° desejado: Amores Improváveis (volume 3) - Elle Kennedy
Depois de "O acordo" e "O erro", teremos "O jogo", que desta vez contará a história de Dean. Cada um dos livros aborda um dos seus personagens principais masculinos e, para ser bem simples, sua história de amor. O primeiro livro falou sobre Garret e Hannah, o segundo sobre Logan e Grace, e eu estou super ansiosa para saber o que vai acontecer com o Dean neste novo livro. Espero que ele chegue logo!

5° desejado: Amor imortal 2 - Ana Carolina K.J.
Outra continuação que eu adoraria receber a notícia de lançamento para 2017! Assim como o terceiro desejado da minha lista, o primeiro volume foi lançado, e lido por mim, em 2015. Então estou bem ansiosa para saber o que ainda irá acontecer com o Raziel e sua amada Anna. Raziel é um anjo que há muito se apaixonou pela moça e sempre que ela parte deste mundo e renasce em outro corpo, em outra época, ele reencontra sua amada. O primeiro livro conta o romance deles em uma dessas vidas e eu quero muito ver como será a continuação do relacionamento deles, visto que ainda creio ter muita coisa pra acontecer! 

6° desejado: Red Hill - Jamie McGuire
Deixei este por último porque só ouvi rumores. Não sei se este livro terá alguma continuação, mas já ouvi falar de um possível spin-off, por isso resolvi encaixá-lo aqui! Neste livro temos um vírus que ataca a população e começa a dar fim à humanidade. E um grupo de pessoas se reúne para sobreviver, escondendo-se no rancho Red Hill. Entre eles temos a Scarlet, uma mãe cujas duas filhas estavam com o pai quando tudo começou. E ela não as vê desde então. Ouvi falar que este possível livro novo será narrado pelas duas meninas, na tentativa de reencontrar a mãe. Achei a ideia muito boa, e se realmente for acontecer o lançamento deste livro, espero que seja para este ano ainda!


- Os desejados de 2017: Gustavo -


1º desejado : The Beauty of Darkness - Mary E. Pearson
Começo minha lista com o terceiro volume da trilogia Crônicas de Amor e Ódio. Quem acompanha o blog sabe que The Kiss of Deception fez parte do meu Top 10 de 2016. Já tenho o segundo volume em mãos para ler, The Heart of Betrayal. E a ansiedade só aumenta, depois que a Darkside confirmou o lançamento já para o primeiro semestre desse ano! Agora é aguardar, para ter esse último livro que é o maior da trilogia.

2º desejado : A Traidora do Trono - Alwyn Hamilton
Esse livro é a continuação de A Rebelde do Deserto. Um dos melhores livros de fantasia que li nos últimos anos, e esse segundo livro promete uma reviravolta impactante, e a visão que tivemos dos personagens no primeiro livro, deve mudar radicalmente. Gosto muito dessas surpresas que nos pegam em cheio, e parece ser o que me aguarda! Menos mal que a Seguinte também já confirmou o lançamento para os próximos meses!

3º desejado : A Court of Wings and Ruin - Sarah J. Maas
Essa saga de livros foi uma das mais arrebatadoras que já li na minha vida de leitor. Li o primeiro livro e fiquei impressionado. Estou lendo o segundo, e inacreditavelmente está sendo melhor. Dizem que o final do segundo é de enlouquecer, e a ansiedade por esse terceiro é muito grande tanto no exterior quanto aqui. Nos EUA será lançado em maio, e aqui imploramos para que a Galera Record lance o mais rápido possível!

4º desejado : The Liar´s Key - Mark Lawrence
Já confirmado para esse ano, esse é o segundo livro da trilogia A Guerra da Rainha Vermelha. Ambientada no mesmo cenário da consagrada Trilogia dos Espinhos. O fim do primeiro livro deixou um mistério muito grande ao qual a trama deverá ser direcionada agora. Gosto muito da escrita do autor, e quem é fã da Caveirinha anseia para ver também o primor da encadernação que eles empregam nos seus exemplares. 

5º desejado : Origem - Dan Brown
Para quem não está sabendo, teremos mais um livro do mestre Dan Brown, e com o consagrado professor de Simbologia Religiosa, Robert Langdon. O livro vai se chamar Origem, e está confirmado para o mês de setembro nos EUA. Há rumores que a Arqueiro poderá lançar simultaneamente aqui no Brasil. Nunca torci tanto para que um rumor seja verdade! Os livros do autor sempre são de uma trama muito engenhosa e surpreendente. 

- Os desejados de 2017: Carol - 



A saga Harry Potter sob a perspectiva de Severo Snape




Olá amigos leitores, como andam suas leituras de 2017? Hoje venho trazer mais um super post do universo mágico de Harry Potter. Infelizmente próximo dia 14 de janeiro fará um ano da morte do ator Allan Rickman, nosso primeiramente odiado e posteriormente amado, diretor e professor Severo Snape. O Pottermore postou um resumo da perspectiva de Snape acerca de tudo o que ele viveu na saga. Desde sua infância, até sua impactante morte. A tradução é do site O Profeta Diário. Vamos embarcar então em mais uma aventura por nosso amado mundo mágico : 






E se Snape fosse o verdadeiro herói da saga?

Prólogo

Era uma vez um bruxo chamado Severo Snape. Ele era alto e esguio e seus cabelos pretos e gordurosos pendiam como cortinas ao redor de seu rosto. Um bruxo mestiço vindo de uma família infeliz, Snape encontrou consolo em uma bruxa chamada Lílian Evans, sua amiga de infância. Snape amava Lílian profundamente: ao longo dos anos em Hogwarts; quando ela casou com outro bruxo, Tiago Potter; durante o período em que ele fora Comensal da Morte; e muito depois dela ter sido assassinada por Lord Voldemort. Depois de sua morte, Snape, de coração partido, se tornou professor de Poções em Hogwarts (sob a proteção de Dumbledore) e iniciou sua missão secreta de manter segura a única coisa que lhe restava: o filho de Lílian, um menino com os olhos da mãe.

Severo Snape e a Pedra Filosofal


Ainda assim, isso não significava que ele precisava gostar do garoto, que parecia tão irritante quanto seu pai (que tanto infernizara Snape na escola), Tiago Potter. No entanto, Snape tinha um trabalho a fazer. Durante o primeiro ano de Harry, Dumbledore e Snape suspeitaram que um professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, o Professor Quirrell, estava tentando roubar um objeto mágico precioso escondido nos terrenos de Hogwarts: A Pedra Filosofal. Com sua esperteza, Snape descobriu os planos de Quirrell muito rapidamente, que envolveram soltar um trasgo nas masmorras e tentar enfeitiçar a vassoura de Harry durante uma partida de Quadribol. Snape, naturalmente, enfrentou Quirrell com maestria, mas no final Harry e seus dois amigos receberam todo o crédito, com Snape pegando fogo no processo. Encantador.

Severo Snape e a Câmara Secreta


Embora este tenha sido um ano tranquilo para Snape, seu excelente ensino levou Hermione e Harry a descobrir duas coisas que se revelariam fundamentais em seus últimos anos: Poção Polissuco e Expelliarmus. Ao contrário de alguns bruxos, ele não passou todos os anos de Hogwarts tentando se tornar o centro das atenções.

Severo snape e o Prisioneiro de Azkaban


Nessa história, nosso herói teve que enfrentar os vilões de seu passado: Sirius Black, Remo Lupin, Pedro Pettigrew e Tiago Potter - os valentões da juventude de Snape, sendo um deles o homem que se casou com Lílian, o amor de sua vida. A reunião indesejável ocorreu quando o velho amigo de Potter, Remo Lupin, tornou-se professor de Defesa contra as Artes das Trevas, o emprego dos sonhos de Snape. Enquanto professor de Poções, Snape gentilmente ajudou Lupin - um lobisomem. Naturalmente, quando teve que assumir as aulas de Lupin, ele pode ter acidentalmente ensinado os alunos como detectar um lobisomem, mas isso não passou de uma mera coincidência. Enquanto isso, Sirius Black escapou de Azkaban e estava atrás de Harry Potter. Lembrando de seus anos em Hogwarts, Snape não perdeu tempo tentando fazer "justiça" à Black. No final do ano, ele finalmente o pegou na Casa dos Gritos. Snape foi saudado como um herói pelo Ministro da Magia, Cornélio Fudge, que prometeu que ele seria devidamente recompensado. A Ordem de Merlim! Um perfil no Profeta Diário! Finalmente, tudo está bem encaminhado, Severo! Algumas outras coisas aconteceram depois disso, mas nada muito interessante.

Severo Snape e o Cálice de Fogo


Na medida em que Hogwarts comemorava o retorno do Torneio Tribruxo, Snape tinha problemas maiores para lidar. Seus dias de Comensal da Morte voltavam para assombrá-lo, e sua Marca Negra - um símbolo mágico ligado ao Lord das Trevas - estava se tornando cada vez mais pronunciada. Seus piores temores foram confirmados no final do ano, quando fora revelado que o Torneio Tribruxo havia ajudado inadvertidamente a acobertar o retorno de seu velho mestre, Lord Voldemort. Foi chegada a hora de Severo. A pedido de Dumbledore, ele terminou a história embarcando numa missão perigosa e secreta: juntar-se novamente aos Comensais da Morte e tornar-se um agente duplo.

Severo Snape e a Ordem da Fênix


Dumbledore deu a Snape mais uma tarefa, talvez a mais árdua de todas: encontrar-se com Harry Potter. Tudo bem, na verdade era para ensiná-lo a delicada arte de defender sua mente contra a intromissão - especificamente, a de Lord Voldemort - através da Oclumência. É um tipo de magia difícil de dominar e requer grande controle mental. Ele parecia estar ensinando um Verme-Cego a dançar. Muito pior do que ser inútil, no entanto, é ser estranho e impertinente - do tipo que enfia a cabeça em sua Penseira quando você não está por perto. Quem faz isso?! Mesmo assim, ele ajudou Harry várias vezes ao longo do ano: dando a Dolores Umbridge uma falsa Veritaserum; mentindo que seu estoque tinha se esgotado quando pressionado por mais; passando a mensagem de Harry sobre a captura de Sirus para a Ordem da Fênix; e, portanto, deduzindo que ele havia entrado em uma armadilha no Ministério. Apesar de seus esforços, todos ainda pensavam o pior dele.

Severo Snape e o Enigma do Príncipe


Alvo Dumbledore estava morrendo. Tendo acabado de voltar de uma missão para destruir uma das Horcruxes de Lord Voldemort, um anel o amaldiçoou e entregou-lhe a sentença de morte. Chocado e entristecido, Snape relutantemente concordou em ajudar Dumbledore com um de seus planos finais, incluindo prolongar a curta vida de Alvo. Ao passo que ele se desdobrava para que tudo ocorresse conforme o combinado, Lord Voldemort tinha designado um de seus alunos, Draco Malfoy, para assassinar Dumbledore; Dumbledore ordenou que Snape fizesse a ação em vez disso e cuidasse de Hogwarts depois de sua partida. Enquanto isso, Potter estava se metendo nos negócios de Snape mais uma vez, tendo encontrado um antigo livro de Poções no qual o professor costumava escrever e criar feitiços sob o apelido de "Príncipe Mestiço". Mas Snape não teve tempo de se aprofundar nisso. Ainda naquele ano, Dumbledore revelou que Harry era uma Horcrux, o que significava que ele teria inevitavelmente que morrer. Agora, como fortemente estabelecido, Snape não era o maior fã de Harry, mas isso não significava que ele deixara de amar Lílian. Dumbledore ficou surpreso ao perceber que Snape parecia cuidar do menino. Com um movimento de sua varinha, ele evocara um Patrono - o Patrono de Lílian, uma corça. "Sempre", disse Snape. No fim, Snape cumpriu seu dever, matando seu aliado mais próximo, seu amigo mais querido, e mostrando-se um assassino aos olhos das pessoas que ele queria proteger. Porque esse era o tipo de homem que Severo Snape era: um herói tão heróico que se projetava como o vilão, se isso significasse fazer a coisa certa.

Severo Snape e as Relíquias da Morte


Fechado no círculo de Voldemort, Snape começou a trabalhar seguindo os últimos desejos de Dumbledore, ao mesmo tempo em que aparentava ser leal ao Lord das Trevas. Ele foi nomeado diretor de Hogwarts, onde secretamente manteve-se aliado a Dumbledore para proteger seus alunos - especialmente quando um par de Comensais da Morte, os Carrows, tinham sido nomeados diretores adjuntos. No entanto, apesar do perigo de sua missão e apesar de ser odiado por grande parte do mundo bruxo, Snape manteve-se fiel a única coisa que o incentivava a continuar: a segurança do filho de Lílian. Ele chegou até a enviar seu Patrono para guiar Harry até a Espada de Gryffindor (uma lendária destruidora de Horcruxes) em um lago nas proximidades. Meses depois, Potter retornou a Hogwarts para uma batalha final - entre o bem e o mal, entre os alunos e professores de Hogwarts e as forças das trevas de Lord Voldemort. Ainda comprometido com sua missão, Snape foi expulso de Hogwarts pelos outros professores, completamente inconscientes de suas boas intenções. Snape voltou ao Lord das Trevas, mas algo estava errado. Voldemort agia estranhamente, confuso porque a Varinha das Varinhas não o obedecia. Ele tentou tranquilizá-lo, mas Voldemort achava que Snape era o verdadeiro mestre da antiga varinha de Dumbledore, uma vez que o matara. Severo percebeu o que isso significava, mas não foi rápido o bastante - a cobra de Voldemort, Nagini, já estava sobre ele, mordendo-lhe o pescoço, deixando-o fatalmente ferido. Ainda assim, em seu leito de morte, Snape realizou um último ato heróico. Ele completou sua missão, mostrando-se fiel a Dumbledore, dando a Harry (que para a sua surpresa estava escondido nas proximidades), as memórias que não só permitiriam ao menino derrotar Voldemort, mas redimiram-no aos olhos de alguém que ele sempre quisera proteger - aos olhos de Lílian, aos quais ele pode olhar pela última vez. E com isso, Snape partiu.

Epílogo


Severo Snape morreu como herói, mas morreu sabendo que quase ninguém tinha consciência disso. Dezenove anos mais tarde, porém, um Harry mais velho e sábio explicaria a seu filho Alvo Severo Potter por que seu nome levava o de dois grandes diretores de Hogwarts, dizendo a ele que Severo Snape era "o homem mais corajoso que ele já conhecera". Seu legado na família de Lílian Potter viveu para sempre.

É sempre emocionante falar de Severo Snape. Aquele que nos causou tantas emoções variadas durante os sete livros da saga. Dia 14 nossos corações estarão sentindo sua falta, mas ele SEMPRE (ALWAYS!!!) estará conosco, assim como no nome de Alvo Severo Potter! 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...