[Resenha] - Querubins: a balança do coração - Martha Ricas


Editora: Coerência
Lançamento: 2016
Gênero: Fantasia / literatura nacional
Páginas: 267
ISBN: 9788592572150


Florença, Itália. Cidade cheias de belezas e o local da missão da querubim Ashira na Terra. Ashira sempre foi a mais delicada e amorosa dos querubins e essa missão era uma oportunidade de mostrar sua capacidade como guerreira dos céus. Por isso, ela foi enviada para trabalhar como dama de companhia da jovem Graziella di Médici, herdeira de uma das famílias mais influentes da Itália. Mas essa não é sua única missão na Terra. Ashira precisa localizar uma pessoa especial que será de vital importância em sua missão, um atalaia - ser humano com o dom de ver e sentir seres espirituais.  

Disfarçada como humana, Ashira conhece Lucca Amato, jovem aspirante a pintor que logo se encanta por sua beleza e bondade. Lucca nasceu pobre, mas sua extrema dedicação o levou a ser chamado para colocar seus dons em prática ao lado de seu mentor na residência da família Médici. Lá Lucca reencontra Ashira e conhece Graziella, que percebe ser uma pessoa egoísta e mesquinha, completamente o oposto de Ashira. 

Quando uma traição dá início à uma guerra contra a família Médici, a querubim Ashira percebe estar diante de um mal de proporções cada vez maiores, que se infiltra na mente das pessoas e que pode causar mais danos do que uma batalha terrena. Por isso ela precisa agir rápido e, acima de tudo, aprender a fazer uso de seus dons e sentimentos nos momentos certos se quiser vencer.


"Haveria uma guerra. E estava longe de ser Médici contra Sforza. Estavam em conflito o Céu e o Inferno. Precisava encontrar Ashira e Graziella se não quisesse uma réplica da devastação da vila estendida por toda Florença."

Em seu novo livro, "A Balança do Coração", mais uma vez Martha Ricas mostrou-se capaz de construir estórias profundas e delicadas, com uma aura mágica por seus cenários de época. Tudo nesta obra é cheio de sentimentos de forma que torna-se inevitável se apaixonar. Este é o segundo livro da série, mas não é bem sequência de "A Sentença da Espada" - spoilers que não comento -, pois cada um dos livros é voltado para um dos querubins e a Ashira, obviamente, é o foco neste livro. Ashira possui uma personalidade bondosa e até certo ponto, ingênua. Ela acredita no bem das pessoas e no amor, seja em qualquer situação. Por isso é mandada à uma missão que exige dela sabedoria para dosar seus sentimentos em relação aos humanos se quiser vencer e mostrar que é uma verdadeira guerreira. Ashira sempre foi alguém muito dócil e sensível, por isso eu senti que essa missão dela foi mais do que apenas uma prova de sua coragem, foi um aprendizado que ela teria de tirar para a sua vida. 

A autora colocou os acontecimentos no livro de forma a deixar o leitor ansioso para descobrir todo o seu desenrolar e se Ashira irá conseguir cumprir sua missão com êxito. Por ser um livro com uma carga de reviravoltas bem mais intensa do que o primeiro volume da série, o leitor não sabe o que esperar. E isso, aos meus olhos, acabou trazendo uma beleza única ao livro, pois as dificuldades da Ashira acabam trazendo à tona sentimentos profundos de insegurança e tristeza, mas também amor e amizade, mostrando que até nos maus momentos, nós não estamos sozinhos.


"Tenho companheiros no Céu bem diferentes de mim. Porém, meu amor por eles como parceiros de luta me fez ver que nossas diferenças são partes faltantes que Deus colocou em outros para que pudéssemos entender a natureza do amor. Só podemos amar quando conseguimos nos colocar no lugar de outro alguém, com seus defeitos e predicados e, ainda assim, sentir empatia."


Mas não se engane se você acha que, só porque o livro é voltado para a missão de Ashira, não poderemos matar a saudade de outros personagens queridos. Chaya estará de volta para brilhar ao lado da protagonista e o terceiro querubim, Salatiel, que nós não conhecemos ainda tão bem, mas já conseguimos amar. Os três representam talvez a amizade mais pura de todas que eu já tenha lido e enchem as páginas do livro de sentimentos fantásticos, criando um clímax maravilhoso e abrindo portas e mais portas para o que pode acontecer no próximo livro - ou depois.

A visão mais abrangente da situação que o livro nos passa se dá principalmente por sua narrativa sob dois pontos de vista - Ashira e Lucca - que nos permite ver as dimensões e consequências da guerra tanto no Céu quanto na Terra. Diversos são os livros sobre criaturas celestiais existentes, mas nunca li nenhum que chegasse à tamanha grandiosidade quanto os livros dessa autora. O mundo de querubins é de uma exclusividade sem igual, com força suficiente para mexer com o coração de seus leitores. A autora deixou uma forte identidade no livro que eu encontrei em poucas obras, para mim é impossível olhar para "Querubins" e não ver a Martha e seus querubins emanando das páginas, tamanha simpatia e delicadeza presentes. Só posso dizer que a cada livro novo, essa parceira tem se superado cada vez mais, me conquistado cada vez mais e suas obras tornaram-se necessárias na minha coleção. 

[Resenha] - Dorothy tem que morrer - Danielle Paige




ISBN-13: 9788579802737
ISBN-10: 8579802733
Ano: 2016 / Páginas: 384
Idioma: português 


Amy é uma adolescente problemática do Kansas. Ela foi abandonada pelo pai e sua mãe é uma alcoólatra que não tem condições de cuidar da filha. Elas moram em um trailer e por isso e outros motivos todos na escola a chamam de Amy Esmola. A garota não tem amigos, namorado e nem ninguém que pode realmente contar, sua única boa lembrança é quando a mãe lhe apresentou o filme do Mágico de Oz e ela ficou encantada. A partir disso Amy leu todos os livros e sabia detalhes sobre a história da menina que morou no mesmo lugar que ela.
Numa tarde qualquer a TV alerta a população do Kansas sobre um tornado que está se aproximando, ninguém realmente acredita nisso, mas dessa vez é real. Quando Amy percebe já é tarde demais pra procurar um local seguro e o trailer já está dentro do tornado. 
Parecendo uma grande piada, exceto que ela realmente está voando, Amy é jogada para um terra distante, mas que não tem nada a ver com a OZ de que ela está acostumada nos livros e filmes, e nem poderia ser, afinal é só um livro.
Mas a medida que Amy avança naquela terra completamente desconhecida ela começa a perceber elementos muito particulares da OZ que ela tanto leu, porém logo ela percebe que está diferente, sombria.

Logo Amy começa a conhecer as pessoas daquele local e descobre o motivo pelo qual OZ não está como nos filmes: DOROTHY. A história não terminou como nós conhecemos. Ela voltou do Kansas porque não era reconhecida pela sua façanha, ela gostou de ser famosa. Se tornou princesa de OZ e sua sede por magia modificou seu caráter. O Leão agora estraçalha os vilarejos porque ele tem fome do medo das pessoas. O Homem de lata tem um exercito de lata e segue fazendo-se cumprir todas as leis de Dorothy, o Espantalho tem um laboratório demoníaco onde quem entra jamais sai inteiro. Ele quer ser mais inteligente do que todas as pessoas de OZ, nem que pra isso ele tenha que tirar toda inteligencia do cérebro das pessoas. 
Amy logo conhece a fúria de Dorothy e acaba se comprometendo com a Ordem Revolucionária dos Malvados, uma sociedade composta pelas bruxas más sobreviventes de OZ, elas querem apenas uma coisa: Matar Dorothy. E para isso elas começam a treinar Amy com tudo o que OZ pode oferecer e logo ela está completamente pronta. Mas a garota do Kansas fica cada vez mais confusa porque ela não sabe em quem confiar. Por que ela deve acreditar nos malvados? Por que ela tem que matar Dorothy? Quem trouxe ela até o Kansas? Quem realmente é o bem e o mal?


Em Dorothy tem que morrer nós desconstruímos a OZ de Frank L. Baum e partimos para um outro mundo, com personagem conhecidos mas que não sabemos quem são, capazes de tudo em nome da magia. Em um momento você não acredita que seus pequenos heróis são capazes de tantas maldades e no segundo seguinte Danielle Paige já te convenceu da obscuridade por trás de Dorothy e seus amigos e você realmente passa a acreditar que a história dela é real. Uma narrativa envolvente através dos pensamentos de Amy que além de ter se metido em uma baita enrascada ainda tem que lidar com suas emoções e a grande quantidade de rejeição que sofreu durante toda sua vida. 

Uma das coisas mais interessantes do livro é que você encontra personagem que você já conhece, mesmo que eles tenham mudado um pouco a personalidade. Em determinado momentos você se pergunta onde está o Mágico, o Totó, a bruxa boa do norte e logo eles aparecem deixando você de queixo caído. Cada elemento que faz referencia a verdadeira OZ, ou a que você pensa que é verdadeira, e te dá aquele arrepio nostálgico. 
O fato de Amy, assim como nós, não saber o que acontecer com OZ é muito positivo, porque é o momento onde a autora introduz todo o universo criado a partir do momento que Dorothy voltou pra OZ, assim como Amy, nós também vamos descobrindo coisas ao longo da narrativa. Essa onda de mistério que fica durante o livro quase todo dá te dá aquela vontade de não largar o livro até terminar. Mas não pense que terminou aqui, ainda tem mais três livros na saga, sendo que o último ainda não foi lançado. No Brasil somente Dorothy tem que morrer foi lançado. Espero realmente que a ROCCO continue lançando o resto da saga.

Você não pode deixar de comparar Dorothy com Amy, elas parecem tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo. As duas vieram do Kansas, através de um tornado, Amy precisa salvar OZ exatamente como Dorothy já fez. Enquanto a Dorothy que conhecemos era meiga e inocente, Amy é determinada e imponente. 
Antes, a gente tinha uma Dorothy doida pra voltar pra casa. Agora, temos um Amy doida pra nunca mais precisar voltar. 

Veja a resenha em vídeo:






[Resenha] - O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares #1 - Ransom Riggs

Título orginal : Miss Peregrine's Home for Peculiar Children
Editora : Leya
Gênero : Literatura estrangeira / Fantasia / Ficção / Jovem Adulto
Lançamento : 2015
Número de Páginas : 336
Tradução : Edmundo Barreiro e Márcia Blasques
ISBN : 9788544102848

foto de arquivo pessoal
Olá galera! Hoje trago para vocês a resenha daquele que deve ser um dos livros mais comentados do ano! Nele somos apresentados a Jacob Portman, um jovem de 16 anos, de uma família rica dos EUA. Ele tem uma relação meio distante dos pais, e é apegado mesmo ao seu avô. Seu avô é Abe Portman, veterano da Segunda Guerra Mundial, que sempre contou ao seu neto suas histórias dessa época. Ele contava que não enfrentava apenas os nazistas, mas também alguns tipos de "monstros". E ele combatia esses "monstros" para proteger pessoas que ele tinha convivido durante sua infância e juventude. Abe conta que havia sido resgatado pela Srta. Peregrine, que possuía um orfanato em uma pequena ilha galesa, onde abrigava crianças que tem habilidades especias. A família de Abe sempre encarou essas histórias como uma fuga que a mente dele criou para o horror da guerra. Jacob no entanto, acreditava nessas histórias quando criança; mas também passou a desconfiar conforme foi crescendo. Entretanto quando Abe morre sob circunstâncias misteriosas, Jacob corre atrás de respostas. Foi ele que encontrou o avô, e viu uma criatura sinistra rondando o local logo após o  seu falecimento. Para deixar Jacob ainda mais confuso, ele encontra correspondências entre seu avô e a Srta. Peregrine, e convence seus pais que precisa viajar até a ilha, e descobrir toda a verdade do passado de Abe.


foto de arquivo pessoal
“Era um lugar encantado, contava ele, projetado para manter as crianças protegidas dos monstros, em uma ilha onde o sol brilhava todos os dias e ninguém jamais adoecia ou morria. Todos viviam juntos em uma casa grande protegida por uma ave velha e sábia, pelo menos era isso que dizia a história. Havia uma garota que podia voar, um menino que tinha abelhas vivendo dentro dele, um irmão e uma irmã que podiam erguer facilmente pedras enormes”.
O livro é todo narrado em primeira pessoa por Jacob, e chegando a ilha ele se frusta muito, até que depois de muita persistência encontra o orfanato. Primeiro ele o encontra em ruínas, afinal o orfanato havia sido destruído na guerra. Contudo ele percebe que alguém o observa, e quando segue essa pessoa ele adentra a uma caverna, e se vê dentro de um mundo que ele percebe ser a ilha, mas em um tempo diferente. Explorando o lugar ele é capturado por Emma Bloom, que o leva até o orfanato. E chegando ao lugar ele não acredita : o lugar está em perfeito estado! Como isso é possível? Então a Srta. Peregrine que estava à sua espera, conta a verdade por trás daquele local que parece mágico. Não vou contar a vocês por ser um dos detalhes mais legais do livro. Ali a Srta. Peregrine conta a Jacob, ela cuida dos "peculiares"; que são pessoas que nascem com dons especiais, e que vivem escondidos da humanidade por serem perseguidos. Ele também descobre que seu avô viveu ali e era um peculiar. Ele era o único que conseguia ver os inimigos mortais dos peculiares : os Etéreos. Também não vou revelar suas características, para que vocês possam descobrir por si só! E não são apenas os Etéreos, há também os Alcoólitos; que são Etéreos evoluídos que conseguem se passar por humanos. 


foto de arquivo pessoal
“Eu tinha acabado de aceitar que minha vida seria apenas comum quando coisas extraordinárias começaram a acontecer comigo. A primeira delas foi um choque terrível e, assim como qualquer coisa que muda você para sempre, dividiu minha vida em duas partes. Antes e depois.” 
Assim como Jacob, ficamos fascinados com o mundo das crianças peculiares! Jacob também se sente aliviado por testemunhar que as histórias de seu avô eram verdade, e ele não estava ficando louco, afinal tinham até arranjado um psiquiatra para ele! A Srta. Peregrine conta toda a história dos peculiares desde eras remotas, e como eles já viveram entre os humanos. Com o passar dos séculos, isso não foi mais possível; os humanos não aceitavam mais pessoas com dons fora do comum. Por isso muitos peculiares vivem em várias fendas temporais por todo o mundo. Jacob faz amizades, e descobre até um romance com Emma! Finalmente ele sente que faz parte de um mundo que ele pode compreender e ser compreendido. Mas nem tudo são flores! A fenda é atacada, e aquele mundo recém descoberto por Jacob é abalado drasticamente. Eles descobrem um plano dos Alcoólitos, e para isso precisam capturar todas as responsáveis pelas fendas temporais, entre elas, a Srta. Peregrine. A batalha é difícil, e após perdas dos dois lados, as crianças veêm seu lar destruído. Elas e Jacob (que descobre ter a mesma peculiaridade do avô), terão que ir atrás de uma forma de impedir os Alcoólitos, e buscar uma cura para Srta. Peregrine, que ficou aprisionada sob a forma de uma ave. 


foto de arquivo pessoal
“Não tínhamos trazido nenhum dos velhos álbuns de retratos; talvez essa fosse a primeira foto para um novo...” 

Galera que livro FASCINANTE! Essa é a palavra correta para resumir esse livro! Como vocês podem ver pelas fotos, o livro possui muitas fotografias (todas verdadeiras!), que ajudam muito a nos contextualizar e se sentir inserido na história. O autor criou um mundo tão único, tão inovador, e tudo isso situado dentro da Segunda Guerra. Os personagens são em sua maioria cativantes (tem alguns chatos! kkkkkk), e o enredo foi muito bem escrito. Os mistérios são revelados de forma gradativa, o que prende nossa atenção e curiosidade por todo o tempo! As peculiaridades, as fendas temporais, enfim, todas as características que formam esse mundo são de uma genialidade e criatividade incríveis. A forma que o autor desenvolveu os acontecimentos, foi muito bem escolhida. Jacob é um protagonista que vai se descobrindo e se afirmando durante o desenrolar da história. Um garoto que é fácil se simpatizar, e que possui uma personalidade carismática. Gostei muito de Emma Bloom, uma garota decidida, forte, encorajadora e protetora. A Srta. Peregrine é inteligente, protetora e astuta. Um livro para você que gosta de uma boa dose de fantasia, mistério, suspense, bem escrito e elaborado. As expectativas para o segundo tem se cumprido, e acredito que estejam se superando, afinal já estou na metade do livro! E claro, trarei resenha dele para vocês. Espero que tenham gostado, até a próxima pessoal!


PS : uma curiosidade para vocês! O primeiro livro foi lançado pela Editora Leya, como vocês perceberam pela ficha técnica. Contudo, os direitos foram adquiridos pela Intrínseca recentemente. A edição da Leya é em brochura, e o segundo e terceiro livro lançados pela Intrínseca são de capa dura. Você que gosta das suas séries e trilogias todas iguais, não se desespere! A Intrínseca revelou a poucos dias que irá lançar o primeiro livro em capa dura em Novembro. Portanto, esperem alguns meses e vocês terão sua trilogia com os livros todos iguais!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...