[Livro x Filme] - Eu sou a lenda

Atenção! Este post contém spoilers sobre o filme e sobre o livro.

Robert Neville é o único homem na Terra não afetado por um vírus letal que infectou toda a população mundial, transformando-os em seres malignos da escuridão. Caçando durante o dia, sendo caçado durante a noite e lutando para sobreviver, Neville tenta encontrar algo que explique o motivo de ele ser imune ao vírus, enquanto procura por outras pessoas que possam ter sobrevivido.

Sobre a sinopse, é tudo o que eu posso dizer. Depois disso, temos dois caminhos para escolher: o do livro e o do filme. A primeira coisa que chama a atenção de quem lê e assiste "Eu sou a lenda" é a significante diferença entre o primeiro e o segundo. Embora os personagens sejam os mesmos em sua maioria, os acontecimentos são passados a nós de formas muito diferentes. Este simples fato faz com que "Eu sou a lenda" seja um livro/filme até interessante de comentar aqui. E por isso, citaremos algumas das modificações.

A primeira, que pode até não aparentar ser muito importante, mas na verdade é uma das mais interessantes, é o relacionamento de Robert com o seu cachorro. No filme, ele cria a pequena Sam desde filhote e vê nela sua melhor amiga e leal escudeira nos momentos difíceis. Sam é a única criatura com quem ele pode conversar, ainda que sinta falta da convivência entre humanos. No livro, Robert não tem um cachorro desde o início. Desesperado por alguma companhia, ele encontra um vira-lata perdido e tenta por um longo tempo ganhar a sua confiança. 

No livro, os infectados conhecem Robert e sabem aonde ele mora. Todas as noites, Neville se tranca em sua casa, sozinho, enquanto resiste às ameaças e exigências dos infectados para que ele se entregue. No filme, a situação se inverte um pouco. Ninguém sabe aonde Robert vive e as criaturas vagam as ruas à procura dele. E ele não é reconhecido por ninguém, é apenas visto como mais uma presa para os infectados.


Este ponto é muito importante no desenrolar da estória tanto do livro quanto do filme, pois é ele quem desencadeia os acontecimentos seguintes que levarão aos dois diferentes finais que nos são apresentados.

Quando Neville perde a companhia de seus amigos caninos, ele parte em busca de humanos saudáveis. Isso também difere no livro e no filme. Enquanto no primeiro, Robert encontra uma jovem vagando durante o dia e a leva para sua casa, no segundo, ele é salvo por uma mulher e seu filho pequeno. Apesar, desta modificação, em ambos o encontro com estas pessoas foi o que levou Robert a se tornar uma lenda.

Apesar das modificações citadas acima (e de várias outras não mencionadas), o filme não é um desastre. Muito pelo contrário, é tão bom quanto o livro. O roteiro foi muito bem escrito e nenhuma cena deixou o filme sem sentido.
É um filme que consegue causar arrepios facilmente e nos deixar com o coração na mão por nervosismo do que possa acontecer. 

"O último homem na Terra não está sozinho."

O final do filme é a maior diferença entre este e o livro. Neste ponto, não há absolutamente nada em comum entre um e outro. Mas não nos deixa a desejar também. 
O único porém é que, devido ao sucesso da adaptação para as telonas, "Eu sou a lenda" passou a ter um final alternativo que vem nos extras do DVD. Mas em minha opinião, o  final alternativo ficou sem nexo em relação ao resto da estória. 

Um fato não mencionado aqui, mas que leva ao entendimento de por quê eu não gostei do final alternativo foi que, no meio do filme, Robert consegue capturar uma infectada e a leva para sua casa para realizar experimentos que lhe mostrem o funcionamento do vírus dentro do corpo humano. Por causa disso, os demais infectados mudam totalmente os planos que possuíam para Robert e a perseguição que durou o filme todo acabou simplesmente não servindo para nada... Ou seja, de um momento para o outro, eles simplesmente não querem mais saber de caçá-lo e eu fiquei bem revoltada com o novo final. 

Mas este é o único ponto negativo que eu vi em "Eu sou a lenda". Toda a estória é tão bem elaborada que chega a ser incrível e não apresenta falhas no desenrolar de toda a trama. 

E vocês? Já assistiram o filme ou leram o filme? Contem para a gente as suas opiniões!! E até amanhã, com mais outro post de aniversário!

8 comentários:

  1. Oi, tudo bom? Adorei o post eu sabia que tinha um livro, mas não tive a oportunidade de lê-lo ainda. Quanto ao filme, eu adoro. Não vi o final alternativo, mas pelo que você falou nem vale a pena vê-lo. Depois deste post fiquei ainda mais curiosas para ler o livro.

    http://leiaassistareflita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela, tudo bom e você?
      Realmente, este é um caso em que podemos dizer que o filme é tão bom quanto o livro, apesar de todas as diferenças citadas! Você não vai se arrepender, leia sim! Quanto ao final alternativo, eu achei muito fraco, na minha opinião ele fugiu até demais da estória. Mas já ouvi gente falando que gostou, então... rs
      Depois que ler o livro, volte para dizer o que achou dele! E volte mais vezes, este mês ainda terá muita coisa legal!

      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Marina, Eu assisti esse filme e gostei bastante, por ser fã do Will e pela estória mesmo, mas eu nem sabia que tinha um livro. Essa parte foi novidade pra mim. hehe
    Fiquei sabendo com o seu post e fiquei curiosa, pois os livros são bem mais detalhados.
    Obrigada pela informação.
    Já sobre o final alternativo, eu não assisti e também não quero, pelo que você explicou não vale mesmo a pena assisti-lo.
    Parabéns pelo post.

    http://casinhadaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rachel!
      Apesar de eles serem diferentes, os dois são ótimos! Terminam fechando todos os pontos, e tudo fica explicado. Por isso não gostei do final alternativo! Mudou tudo o que eu já conhecia da estória.
      O bom é que, neste caso, a gente não fica decepcionada com nenhum deles... rs
      Vale muito a pena ler!

      Obrigada pelo elogio, continue sempre nos visitando. O mês ainda terá muitas surpresas!
      Bjs!

      Excluir
  3. Que legal esse seu post, muito bom! Eu só assisti o filme e confesso que achei muito bom, mas pelo que vc descreveu do livro parece que este é muito mais agoniante e assustador, não é mesmo? Já que os infectados perseguem Robert.

    Beijinhos, Hel.

    leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!! Obrigada, que bom que gostou!
      É verdade, o livro ainda tem essa capacidade de deixar o coração batendo mais rápido de desespero, coisa que o filme não tem tanto assim. Esse ponto de ele ser perseguido eu achei melhor, pois alguns infectados eram até conhecidos dele quando em suas formas humanas, então o drama psicológico aumenta um pouco mais.

      Beijos!
      Volte sempre!

      Excluir
  4. Eu li o livro e fui ver o filme, nossa... que decepção! Não consegui assistir sem ficar comparando, acho que em comum deva ter 10% da história original. Deve dar pra listar uns 20 tópicos só citando as diferenças dos dois. Vou assistir o filme "Mortos que Matam" (1964), que aparenta ser mais fiel, já que o próprio Richard Matheson escreveu o roteiro.

    ResponderExcluir
  5. Acabei de ler o livro, já tinha visto o filme.Não me surpreendi, na maioria das vezes os filmes não conseguem seguir o mesmo trajeto dos livros, por isso estão lançando tantas series ultimamente.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.