[Resenha] Emperor of Thorns - Mark Lawrence

Título : Emperor of Thorns
Autor : Mark Lawrence
Editora : Dark Side
Lançamento : 2015
Número de páginas : 528  
ISBN : 978-85-66636-35-2


ATENÇÃO LEITOR! SE VOCÊ AINDA NÃO LEU KING OF THORNS, RECOMENDO QUE NÃO PROSSIGA NA LEITURA DA RESENHA, QUE INEVITAVELMENTE CONTÉM SPOILERS DESSE LIVRO QUE É O  SEGUNDO DA TRILOGIA DOS ESPINHOS!

Emperor of Thorns é o último livro da trilogia dos Espinhos, o autor nos traz um pequeno capítulo, fazendo uma recapitalização dos fatos mais importantes até o momento, e ele faz isso porque considera o tempo de lançamento desse livro um pouco demorado em relação ao segundo. 
A história continua sendo narrada pelo rei Jorg Ancrath, e nesse terceiro exemplar, temos também capítulos narrados por Chella, uma necromante, que Jorg derrotou no primeiro livro, mas que está de volta para atormentá - lo. No final do segundo livro, Jorg toma posse de um anel, feito pelos enigmáticos Construtores. Através desse anel ele tem contato com um fantasma : Fexler. Ele foi um Construtor, e revela a Jorg que outros fantasmas de seus antigos companheiros residem em máquinas construídas por eles. Fexler sacia muitas das indagações de Jorg em relação aos famosos Construtores, e qual o objetivo deles; que mesmo depois de mortos, continuam a influenciar os acontecimentos do Império. Outro detalhe importante é que assim como os dois livros anteriores, nesse também temos capítulos que narram a jornada do nosso anti - herói, no passado e no presente. No passado Jorg continua sua viagem pelo Império, formando alianças, conhecendo aqueles monarcas que serão candidatos a Imperador na próxima eleição da Centena. No presente ele recebe a famosa guarda Gilden, um grupo de soldados que é enviado especialmente a todos os reinos do Império, para escoltar todas as comitivas de cada rei que se dirigirá a eleição em Vyene, maior cidade de todos os reinos. 

"Um homem que não pode fazer sacrifícios já perdeu antes de começar." Rei Jorg Ancrath

Não importa qual o tempo, no passado ou no futuro, nós vemos o quanto Jorg se tornou astuto, e o quanto suas indagações sumiram, e o como ele ficou conhecido por ser implacável, cruel e arrasador. Mas para um homem como Jorg, Orrin de Arrow não foi adversário capaz de rivalizar a altura. Então um capaz se levanta : O rei Morto. Um homem que possui um mágica terrível, que passou todos os anos observando os acontecimentos que se desenrolavam, e agora passa a dominar vários reinos, e sua fama se espalha rapidamente. Ele promete tomar o trono do Império e derrotar Jorg, usando um exercito gigante, afinal, ele comanda os mortos, que são bem mais numerosos que os vivos. 

Jorg, agora soberano de nove reinos dentro do Império, passa a figurar entre os favoritos para se tornar Imperador. A viagem até Vyene se mostra mais perigosa que ele imaginava e vários combates são travados, tanto contra inimigos humanos, quanto inimigos mandados pelo rei Morto. A insaciedade de Jorg é incalculável, ele prossegue, marcha até a eleição, momento que ele planejou durante anos. Os encontros e diálogos de Jorg com seus adversários são momentos muito bons, são o ponto alto do livro. 


“O tempo cura todas as feridas, mas muitas vezes somente com o uso da sepultura e, enquanto vivemos, algumas dores vivem conosco, ardendo, fazendo-nos contorcer e virar para escapar delas. E, conforme nos contorcemos, viramos outros homens.” Rei Jorg Ancrath
A parte final do livro é, digamos, esmagadora. Totalmente eletrizante, e o autor deixou elementos que deram ao final acontecimentos de tirar o fôlego. Confesso que quando estava na metade do livro, demorei um pouco na leitura, o livro é denso, e são muitas informações para digerir. Mas o final, eu devorei. 


Especialmente falando do personagem principal agora. Honório Jorg Ancrath é um personagem complexo, quando criança e adolescente já tinha atitudes impressionantes para a idade que possuía. Conforme foi crescendo, adquiriu uma astúcia impressionante, provinda dos estudos que teve com seu tutor. Essa lições, somadas as estratégias aprendidas na estrada com seus irmãos, forjaram o que é Jorg Ancrath. Um personagem de atitudes muitas vezes inesperadas, atitudes que vai contra tudo e contra todos, e que nos surpreendem sempre. Isso foi o grande ponto alto da trilogia, o autor soube manter a gana do leitor em saber cada vez mais sobre o universo incrível criado por ele, e qual seria a próxima grande façanha de Jorg. Enfim, recomendo muito a leitura para quem gosta do gênero, com certeza entrará para sua lista de favoritos. E no final de tudo, Mark Lawrence deixa um agradecimento especial aos leitores brasileiros, pelo sucesso e aceitação do público.

2 comentários:

  1. Oiie. To de volta. Eu levei um susto, pensei que estava no post errado quando li que poderia ter spoiler do segundo livro,mas esse é o terceiro né?
    Eu i a resenha toda. hehe
    Algumas partes eu não fiz ideia do que fosse e agora sei que Chella está de volta. Esse livro deve ser o máximo e percebi que você gosta de trilogias, desde Legend. ;)
    Foi uma boa resenha sem estragar as grandes surpresas do final. rs
    Eu só senti falta de fotos do livro por dentro, esse não tem nada de especial ?

    Beijinhos *-*
    http://casinhadaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Rachel, seja sempre bem vinda! Sim esse é o terceiro livro. Não tem fotos de dentro porque esse segue o padrão dos dois anteriores, e por eu achar essa capa a mais bonita dos 3. Realmente eu gosto bastante de trilogias, tenho JGV, Legend, Divergente, essa dos Espinhos, As Crônicas dos Kane, a trilogia Grisha... Hahahaha e tenho muitas outras na lista de compras! Volte sempre, bjos...

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.