[Projeto Calendarium: marcando o tempo em livros] - #2 - 19 de junho: Dia do Luto




Olá gente! Aqui estamos nós novamente com o segundo post do nosso projeto! Para quem não viu o primeiro, o projeto Calendarium consiste em indicarmos quinze livros (cinco para cada um de nós) que estejam relacionados ao tema escolhido do mês! Como hoje é o Dia do Luto, resolvemos então marcar os 15 livros em que sofremos mais com as mortes! Portanto, cuidado. É mais do que certo que este post terá spoilers, mas se você não liga para isso, então venha conosco conferir as 15 piores mortes da literatura! 



19 de junho: Dia do Luto
- As mortes mais sentidas -

- Indicações da Marina -

01. P.S. Eu Te Amo (Cecelia Ahern)

Preferi começar minha lista com uma morte que não é spoiler, que não foi narrada no livro, mas que me deixou bem triste e me fez chorar rios. Quem já leu ou viu o filme sabe que a estória gira em torno da vida de Holly após perder o marido Gerry. E o que me fez ficar mais triste por sua morte foi a forma como a convivência e o amor entre ele e Holly era linda. Um casal super unido, melhores amigos um do outro, fiquei triste por ter "acabado" dessa forma. Meu coração doía por todas as cenas em que Holly demonstrava imensa saudade do marido e mesmo que não o tenha conhecido muito bem, eu o via pelos olhos da Holly e por isso a morte do Gerry foi uma das que mais me abalou.



02. Harry Potter e as Relíquias da Morte (J.K.Rowling)

Inúmeras são as mortes presentes neste livro e, é claro, quem é fã sofreu com todas. Mas tem aquela que atingiu mais e fez a gente reler aquele capítulo para ver se era verdadeira ou se havia sido só imaginação. No meu caso, a que mais me chocou e que fez ler e reler diversas vezes porque não estava acreditando (e no cinema me cortou o coração também) foi a morte da Edwiges. Sério! Harry Potter teve várias outras mortes bem mais terríveis, mas eu me apeguei tanto àquela coruja, uma das paixões do Harry que não pude deixar de mencioná-la aqui. Ela morreu tentando proteger seu dono e isso destruiu meu coração... 




03. Convergente (Veronica Roth)

Alguns gostaram, outros odiaram, mas todos sofreram com a morte da Tris, nem que só um pouquinho, não há como negar. Quando comecei Convergente, já sabia do final trágico dela (spoilers sem aviso...), e vi que ele seguia um tipo de narrativa diferente dos demais, com capítulos entre Tris e Quatro, e não pude deixar de perceber que essa alternância estava relacionada ao final. E, poxa vida, que coisa! Quando tudo começa a dar muito certo e os personagens começam a fazer planos para o futuro... Já passei por isso uma vez (e vou mencioná-la aqui depois). Fiquei mais arrasada por eles não poderem mais ter seu final feliz juntos do que pela forma como ela morreu...



04. Aura Negra (Richelle Mead)

Já foram 03 mortes na minha lista, mas é agora que "o bicho vai pegar". Porque Richelle Mead em sua série Academia de Vampiros tem o dom de despedaçar corações. "Aura Negra" é o segundo livro somente e já sofremos pela morte de Mason Ashford. O modo como ele praticamente deu sua vida para salvar a protagonista foi um choque imenso. Não esperava que ele pudesse morrer do jeito que morreu e o jeito como Richelle narrou aquela cena... Nossa. O fato de ele estar aqui na minha lista foi que ele morreu por amor à protagonista. E isso foi o que mais me abalou.




05. Tocada Pelas Sombras (Richelle Mead)

 E por último, mas não menos dolorosa (talvez a pior até hoje), foi a "morte" de Dimitri Belikov no terceiro volume de Academia de Vampiros. A primeira coisa que perguntaria para essa autora se a conhecesse seria porque ela destruiu meu emocional com essa "morte". E coloco morte entre parenteses mesmo, quem já leu entende meu motivo. Mencionei no número 03 o fato de tudo estar dando certo para o casal quando um deles morre e o baque que recebi neste livro foi umas dez vezes pior do que qualquer uma das mortes acima citadas. Fiquei com uma ressaca literária de uma semana inteira - a maior que já tive. Então, nem preciso explicar o motivo de ele estar aqui, certo?



- Indicações do Gustavo - 


01. A Esperança (Suzanne Collins)


Bem, começo meu top five com uma das mortes mais sentidas do atual mundo literário: Primrose Everdeen! Eu entendo que uma guerra das proporções da que foi travada em Panem faz muitas vítimas. Contudo para mim, a forma com que a irmã do símbolo da revolução, Katniss Everdeen, foi morta foi absolutamente revoltante! Uma morte que poderia ter sido facilmente evitada pelo próprio povo do qual ela fazia parte e defendia. Confesso que reli uma quatro vezes o famigerado capítulo, em que a autora narra a morte da personagem mais carismática e que representava a esperança para a revolução. Por isso eu li o restante do livro da mesma forma com que Katniss viveu o resto de sua vida: mergulhado em um estado entre o entorpecimento e a melancolia. No momento em que li que Prim morria, eu cheguei a levantar o livro para o jogar na parede! Não o fiz porque o cuidado com meus queridos livros falou mais alto!

02. A Cura Mortal (James Dashner)


Esse livro na minha opinião, assim como para a maioria dos fãs decepcionou um pouco, por ser nítido que o autor se perde um pouco durante a narrativa. E um dos pontos que causou grande discussão foi a morte de Teresa. Os clareanos, que foram usados em vários experimentos, perseguidos e caçados pelo pessoal do CRUEL (Empresa que se dedicava a achar uma cura para a Praga), tinham uma aversão inflexível acerca das intenções da empresa. Teresa sustentava opinião contrária, com sua famosa frase: CRUEL é bom! Eu sempre me solidarizei com ela, e não gostei do seu destino, e do momento com que o autor a matou. Sei que muitos concordam comigo, e muitos discordam, mas eu sempre fui do time Thomas e Teresa. Ela sempre exerceu uma forte influência sobre Thomas e os outros clareanos não gostavam nada disso. Apesar que odiei ela um pouco no segundo livros, mas ela foi coagida a fazer o que fez!

03. Quem é você Alasca? (John Green)

Miles Halter é um jovem pacato, sem amigos, que cansado de sua vida entediante para alguém da sua idade, resolve estudar no colégio interno que seu pai estudou. Lá sua vida muda completamente ao conhecer um garoto popular, apelidado de Capitão e a jovem carismática Alasca Young. A relação entre os três é repleta de cumplicidade e pegadinhas. Logo os três são inseparáveis e aprontam todas tocando o terror no colégio. A infância de Alasca foi uma verdadeira confusão e cheia de sofrimento. E provavelmente por isso as circunstâncias de sua morte são incrustadas em mistério e incertezas. Assim como os personagens, eu até hoje não compreendo com total clareza o que aconteceu e quais motivos levaram ao seu falecimento. Um livro que gostei muito, que me marcou de certa forma, e com um das frases que mais me impactaram: "... se as pessoas fossem chuva, eu era garoa, e ela um furacão."

04. A culpa é das estrelas (John Green) 


Outro dos grandes queridinhos do atual mundo literário, e com uma das melhores e mais fiéis adaptações cinematográficas, ACEDE. O autor inovou ao trazer um assunto que aflora o lado emocional das pessoas, a temática do câncer. A protagonista Hazel Grace, possui um tipo de câncer raro nos pulmões, com uma taxa de mortalidade alta e com um tratamento a base de medicamentos experimentais. Tais medicamentos fazem com que ela leve uma vida minimamente normal. Tudo muda ao ela conhecer Augustus Walter ou, como ele gosta de ser chamado, Gus. Ele tem um câncer menos agressivo e está em melhores condições que Hazel. Os dois começam a paquerar e acabam se apaixonando. Gus é o típico brincalhão e de bem com a vida, e sua morte foi um choque para todos. A relação dos dois é muito comovente, e não há quem não goste dos dois juntos. Junte isso ao fato de que estaticamente a chance dele morrer pelo câncer era pequena, e isso deixou os fãs devastados!

05. Harry Potter e o enigma do Príncipe (J. K. Rowling)

Para finalizar não poderia faltar a morte de um personagem da maior série de livros! Harry Potter dispensa apresentações, assim como Alvo Dumbledore. Aquele que é o mestre, diretor e talvez o maior bruxo da história! O grande professor, que possui um passado como o de qualquer jovem prodígio, fazer diferença e marcar seu nome na história! Com o passar dos anos ele percebeu que as coisas não funcionam assim e adquiri sabedoria para educar e direcionar jovens bruxos na sua formação! Dumbledore é unânime entre os fãs da série, e sua morte foi algo que todo fã sentiu. Para mim foi preciso muito tempo para cair a ficha, e passei muito, muito tempo pensando e desejando seu retorno. Na minha visão, o duelo entre Dumbledore e Voldemort no quinto livro, foi o mais espetacular  de toda a série! Não há quem não veja em Alvo a figura de mestre, educador e orientador; aquele tipo de pessoa que traz a sensação de segurança. 

- Indicações da Carol - 

6 comentários:

  1. Oi,

    Amei o post e o video!

    Abraços...

    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michael,
      que bom que gostou, obrigada!
      Volte sempre. =)
      Bjs

      Excluir
  2. Que projeto legal!
    Achei super bacana!
    Por sorte já li todos os que vocês citaram, menos Cura Mortal, que nesse caso eu pulei para não saber quem morre, já que falta só esse na série para eu ler.
    Hahahaha.
    P.S. Eu Te Amo também quase me matou junto, além dos de HP, de Convergente (COMO ASSIM??????), as da Richelle Mead também me doeram, assim como os do John Green quase nos matam de chorar.
    Faltaram só os de Game of Thrones.
    Ainda não superei váááárias das mortes dos livros, hahahaha.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigada, que bom que gostou! :) Todo mês teremos um diferente, fica de olho para não perder, os temas são muito legais!!
      Apesar de eu ter sofrido mais no filme "P.S.Eu te amo" do que no livro, não tem como não sentir aquela dor pela morte do Gerry, não é?
      A morte em Convergente só não me destruiu por causa de spoiler, então li já sabendo o que ia acontecer... E apesar de as mortes de HP terem me deixado triste demais, pois amava os personagens, a Richelle Mead foi a que se superou. kkk
      Game of Thrones já tentei começar a ler, mas não fluiu. Contudo sei bem o quanto de gente morre por suas páginas hahahaha
      Beijos
      Volte sempre! =)

      Excluir
  3. Oieee! Que post mais amorzinho, apesar de ser um tema tão profundo. Eu lembro da primeira vez que li "P.S. Eu Te Amo", eu não consegui parar de chorar do começo ao fim hahahaha. Acho que o que mais me tocava era o modo como Gerry queria desesperadamente que Holly fosse feliz, independente se ele estaria ou não ali para presenciar sua felicidade. Gente, isso não é de matar qualquer um? Só de lembrar já quero chorar de novo! hahahaha... Parabéns pela postagem, amei muito ♥

    Um beijo!
    Débora
    http://amorlivronico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Débora!
      Pois é, foi bem complicado criar esse post sem dar aquele apertozinho no peito. Eu fiquei muito triste pela morte do Gerry também, ele parecia ser uma pessoa tão maravilhosa! Fiquei com os olhos super marejados na cena do livro em que ele vai até a moça da agência de turismo comprar o pacote especial para a Holly e as amigas, com a data marcada e tudo o mais. Aquilo foi como um tapa muito forte. Você já viu o filme? É igualmente arrasador rsrs

      Beijo!

      Excluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.