[Resenha] - Pax - Sara Pennypacker

Editora : Intrínseca
Gênero : Infanto Juvenil 
Lançamento : Julho de 2016
Número de Páginas : 288
Tradução : Regiane Winarski
Ilustrações : Jon Klassen 
ISBN : 9788551000229

foto de arquivo pessoal
"E, dessa vez, eles que tentassem obrigá-lo a ir embora. Aquilo era o certo a fazer. Ele e Pax. Inseparáveis." Pág. 29  
"Pax amava seu menino, mas, acima disso, sentia - se responsável por ele. Tinha o dever de protegê - lo. Quando não podia cumprir esse papel, a raposa sofria." Pág. 33 
E com essas duas citações, eu inicio a resenha de Pax. Esse é um livro que emociona desde o primeiro capítulo, sim isso mesmo que você leu! E olha que eu não costumo me emocionar lendo! Pax é uma raposa que foi resgatada com poucos dias de vida por Peter, um garoto pré - adolescente. Ele criou Pax com todo amor e carinho que uma criança pode dar ao seu bichinho de estimação. Contudo com a chegada da guerra, o pai de Peter resolveu levá - lo para a casa do avô, e o obrigou a abandonar Pax em um bosque, e se alistou no exército. Ao chegar a casa do avô e refletir sobre a situação, Peter decide que aquele não é seu lugar, seu lugar é com Pax, seu companheiro inigualável. Movido por culpa, lealdade e amor, Peter resolve embarcar na jornada de buscar sua raposa que foi deixada a mais de quinhentos quilômetros de distância. Enquanto isso Pax começa a perceber como são as coisas sem seu dono, e se mantém no lugar onde foi deixado, tendo a certeza que Peter virá buscá - lo.

foto de arquivo pessoal s2
"Tem uma doença que às vezes dá nas raposas que as faz deixar de agir de maneira normal e atacar estranhos. A guerra é uma doença humana parecida." Pág. 72
Pax fica sozinho por um tempo, mas como a região tem muitos animais, logo alguns começam a chamar sua atenção, até que ele descobre outras duas raposas, uma fêmea e um macho filhote. De início Pax é afastado pela fêmea que percebe que ele exala o cheiro dos humanos, cheiro que para todos os animais representa perigo e morte. Enquanto isso, Peter tem um contratempo logo no início da sua busca, e é encontrado por uma fazendeira e ex fuzileira descansando no seu celeiro. Confrontado ele acaba cedendo e contando a verdade de porque está ali. A mulher presta a assistência que Peter necessita, e quer que ele volte para seu avô. Mas Peter a convence, e ela diz que ele pode ficar com uma condição : seguir suas ordens, seus treinamentos para que ele possa se recuperar, e somente ela poderá dizer quando será isso. Sem outra saída ele aceita a oferta, e começa seu treinamento. A vida na fazenda ensina muitas coisas a Peter, e acompanhar seu evolução é algo extraordinariamente interessante. Enquanto isso, Pax também evolui, e começa a se adaptar bem no bosque, e a conviver com as outras duas raposas. Cada um deles : Peter, a fazendeira e Pax estão se conhecendo melhor como pessoas e animal que são. A necessidade de descobrir a verdade sobre si mesmo é algo inevitável para os três. 
foto de arquivo pessoal
"A verdade mais simples pode ser a coisa mais difícil de enxergar quando envolve a nós mesmos. Se você não quiser ver a verdade, vai fazer o que for preciso para disfarçá - la." Pág. 193
Foi muito legal quando notei o jogo que a autora fez com a personalidade de Peter e Pax. Enquanto a raposa é mansa, e necessita aprender a utilizar seu instinto selvagem para sobreviver no bosque; Peter precisa domar seu lado impulsivo e agressivo herdado do pai, que ele próprio percebe enquanto está na fazenda. Naquele lugar ele aprende lições valiosas, que carregará para toda vida, e em contrapartida ele mostra a fazendeira que ela também pode aprender com ele, em um sistema de reciprocidade emocionante de se ler. Após semanas de treinamento, aprendizado e fortalecimento Peter parte na parte final de sua busca por Pax, mais algumas adversidades e obstáculos são superados, e o final foi algo tão terno, tão cálido, tão fraterno, que é difícil segurar as lágrimas! A autora me surpreendeu, e ainda reservou além de emoção, uma boa dose de ação.

O livro é narrado em terceira pessoa, com capítulos alternados sob o ponto de vista de Peter e Pax. No início do capítulo temos uma ilustração revelando sob qual ponto de vista tal capítulo é narrado (vide foto acima). Eu fiquei maravilhado com o ponto de vista de Pax. A autora estudou bastante para compreender a natureza desses animais incríveis! Foi surpreendente e esclarecedor ver como os animais se sentem com a nossa presença, e como podemos ser vistos por eles como o maior male, ou salvação. É quase impossível não se afeiçoar a Peter, e sua dedicação por seu animal de estimação; e também a Pax e seu amor incondicional por seu cuidador humano. Eu fiquei maravilhado com todas as características inimagináveis que as raposas têm. Eu mentiria se não admitisse que me deu uma vontade absurda de ter uma raposa de estimação, kkkkkkkkkkkkk... 


foto de arquivo pessoal
A autora tem uma escrita arrebatadora e instigante. Conquistando o leitor facilmente, e nos levando a desejar dormir abraçado com esse livro fantástico! Amei cada página desse exemplar. A encadernação da Intrínseca está admirável! Em capa dura, com belas ilustrações, contra capa em tom de verde belíssimo, em suma, uma bela obra de arte! Esse livro me lembrou muito outros exemplares da editora, como : A Culpa é das Estrelas e Extraordinário. Livros que merecem ser lidos pela maioria dos leitores, se não por todos! É algo que te toca fundo no coração e na alma. Me senti revigorado após ler esse livro, e grato por ter tido a oportunidade de conhecê - lo. Digo simplesmente : LEIA, LEIA, LEIA. Eu me responsabilizo por um eventual desagrado seu em relação a ele! E depois compartilhe conosco sua opinião! ;)
Deixo essa citação que serve para todos nós, independente da idade e da época, algo atemporal :
"Muitas coisas boas vêm da raiva que sentimos por coisas ruins, muitas injustiças são consertadas assim. Mas primeiro temos que descobrir como controlá - la." Pág. 222

8 comentários:

  1. Oi, Gustavo. Tudo bem?

    Gostei muito da resenha. Desde que esse livro foi lançado, eu morro de vontade de lê-lo, a capa, o enredo, personagens... Tudo me atrai Mas sou muito chorona e tenho a sensação de que esse livro é muito triste, sabe?

    Bjs, Hel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hel :) tudo bem...
      Que bom que você gostou, para mim é uma honra saber disso! Olha Hel, recomendo muito que você leia. Pax é daqueles livros que se tornam nossos xódos! É um dos livros que lerei pros meus filhos com certeza. Confesso que tem sim passagens tristes, mas infelizmente como disse Jhon Green, esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida. Espero que você leia, e me conte depois o que achou! Vou adorar saber! Bjos :)

      Excluir
  2. Olá..
    Primeiramente amei a resenha!! Fiquei bastante curiosa para saber mais sobre a história de Pax e Peter e acredito que o amor, carinho e a preocupação que um tem para com o outro é muito grande para ser deixado de lado (percebi isso lendo a resenha).
    Gu, acho fantástico o modo como você escreve cada parágrafo, dá pra perceber o sentimento que você demonstra em cada um deles e o que essa história representou pra você. Além disso, as fotos de seu arquivo pessoal são de uma delicadeza e beleza que me impressionaram. Espero poder ler em breve esse livro! Bjos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Minha Princesa! ;)
      Pra que toda essa formalidade comigo Meu Bem?! Rsrsrsrsrs... estou brincando Meu Amor, mas pode me tratar como namorado aqui também viu!? ;)
      Obrigado pelos elogios, são os mais importantes, e que me deixam mais feliz! Esse livro deve e merece ser lido por todo mundo! E é só pedir pra mim, que te dou acesso a essa linda história. Obrigado por me deixar radiante com esse comentário! Te Amo Gatinha, mil beijos ;)

      Excluir
  3. Tô morta de vontade de ler esse livro. Parece uma daqueas leituras quesão feitas sob medida pra gente haha
    Adorei a resenha, obrigada por aumentar meu interesse pela história :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila :)
      Com certeza, "Pax" é um livro atemporal, para qualquer idade e que agrada a maioria dos leitores. Fico feliz que tenha contribuído para aumentar seu interesse. Depois nos conte o que achou! ;)

      Excluir
  4. Muito bom o livro, ele faz você se envolver com os personagens, a história tem uma narrativa muito boa e confesso que as vezes eu chorei com a transformações e pela demostração de carinho e companherismos entre os personagens principais. Gustavo sua resenha realmente consegue expor o livro com clareza, parabéns, e eu também fiquei com vontade de ter uma raposa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaque!
      Ah que bom que você gostou do livro! É um amor sem medidas esse livro! É difícil não se emocionar e não querer ter uma raposa! Rsrsrsrs! Obrigado pelos elogios, volte sempre! Abraço!

      Excluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.