[Resenha] - Shatter Me - Tahereh Mafi


Editora: Harper Collins
Lançamento: 2011
Gênero: Distopia / Romance
Páginas: 338
ISBN: 978-0-06-208550-4

Juliette Ferrars tem uma maldição um poder que não consegue controlar - seu toque é mortal e encostar nela pode significar o fim de sua vida. É por causa disso que ela se encontra trancada em um hospital psiquiátrico uma instituição há 264 dias, sem nenhum contato com o mundo e na companhia apenas de um lápis e algumas folhas de papel. Quando ela é informada, então, de que irá ganhar um colega de cela quarto, Juliette tenta ver o lado bom de dividir, depois de tanto tempo, seu pequeno espaço com alguém com quem poderá conversar. Mas ela não esperava ter que compartilha-lo com alguém que lhe traria tantas lembranças perturbadoras.

I only know now that the scientists are wrong. The world is flat. I know because I was tossed right off the edge and I've been trying to hold on for 17 years. I've been trying to climb back up for 17 years, but it's nearly impossible to beat gravity when no one is willing to give you a hand. *

 * "Só agora eu sei que os cientistas estão errados. O mundo é plano. Eu sei porque eu fui arremessada bem na direção da borda e eu venho tentando me segurar por dezessete anos. Eu venho tentando subir de volta por dezessete anos, mas é quase impossível vencer a gravidade quando ninguém está disposto a lhe estender uma mão."

Juliette sente que Adam foi enviado até ali como uma forma de punição, mas o rapaz não parece uma ameaça e tenta a todo custo se aproximar para conhece-la melhor e entender como é a viver naquele lugar. Após algumas semanas neste novo regime de vida, inesperadamente ambos são tirados dali e Juliette é levada à força para a sede d'O Reestabelecimento, a iniciativa política que supostamente salvaria toda a sociedade de sua auto destruição. Lá, ela é recebida pelo comandante do setor 45, Warner, que diz ter planos para Juliette. Warner sabe do poder que ela possui e está decidido a transforma-la em sua mais poderosa arma de combate contra os rebeldes.

Juliette então, se vê obrigada a viver em um mundo cheio de riquezas e deslumbramento, presa às mãos de Warner. Ela é forçada a usar seus poderes nas situações mais inesperadas - o que a faz odiar Warner cada vez mais intensamente por força-la a machucar outras pessoas a fim de satisfazer seus objetivos. Mas ao mesmo tempo, Juliette tem a impressão de que ele parece estar querendo conquistar a confiança dela, o que só deixa Juliette ainda mais confusa em relação aos comportamentos de Warner.

You've been on the edge of insanity your entire life, haven't you? So many people called you crazy you actually started to believe it. You wondered if they were right. You wondered if you could fix it. You thought if you could just try a little harder, be a little better, smarter, nicer - you thought the world would change its mind about you. You blamed yourself for everything. *

* "Você tem estado à beira da insanidade por toda a sua vida, não tem? Tantas pessoas a chamaram de louca que você na verdade começou a acreditar nisso. Você se perguntou se eles estavam certos. Você se perguntou se poderia consertar isso. Você pensou que se você pudesse apenas tentar um pouco mais, ser um pouco melhor, mais esperta, mais legal - você pensou que o mundo mudaria sua mente a respeito de você. Você se culpou por tudo." 



A leitura de Shatter Me (no Brasil, "Estilhaça-me) foi uma experiência um tanto quanto interessante em vários aspectos já neste começo de ano. Primeiramente porque foi minha primeira leitura em inglês que eu realmente peguei para levar a sério e me surpreendi com a facilidade dela. O inglês deste livro, para quem estiver pensando em se aventurar neste mundo de leituras neste idioma, é muito simples e tranquilo, o que facilitou bastante o meu desenvolvimento pelas páginas.

A história toda tem como base os conflitos internos de Juliette - nossa protagonista maravilhosa - em relação a si mesma e o que ela sente neste novo mundo cheio de elegância e futilidade ao qual foi forçadamente inserida. Lendo alguns comentários sobre ela em páginas do facebook, vi pessoas dizendo o quanto não gostaram dela por seu jeito, mas ouso dizer que talvez não tenham entendido que a essência da personagem é juntamente essa: Juliette não conhece a sua força, não conhece o mundo que se formou fora das quatro paredes de seu pequeno espaço na instituição em que foi confinada, ela é ingênua em relação a muitas coisas e a forma como a autora descreve seus pensamentos é incrível, nos apresentando uma Juliette lutando imensamente para sair da confusão e entender muito mais do que a si mesma, mas a entender a vida e qual o seu papel nela.


E puxando-a para ambos os lados, temos Adam e Warner, que só conhecemos pelos olhos de Juliette, visto que a narrativa em primeira pessoa é exclusivamente do ponto de vista dela. Ainda assim, conseguimos já começar a formar opiniões sobre ambos, apesar do que Juliette pensa de cada um. Eu creio que a melhor palavra que posso usar para descrever Warner é intenso. Nos momentos em que vemos Juliette na presença dele, temos certeza disso. Warner tem uma mente astuciosa e está sempre testando nossa protagonista dos meios mais tensos - e para não dizer cruéis - de forma a leva-la aos seus extremos. Adam já é apresentado como um oposto, dá a ideia de ser mais preocupado com Juliette, a ponto de oferecer-se para tira-la dali e impedi-la de ser cobaia dos planos de Warner. Mas eu não me senti muito confortável com Adam, lá no fundo tenho a impressão de que ele é todo gentil e cuidadoso, mas na primeira oportunidade, pode pisar na bola - usando uma expressão bem popular...

All I ever wanted was to reach out and touch another human being not just with my hands, but with my heart. *

* Tudo o que eu sempre quis era alcançar e tocar outro ser humano não somente com as minhas mãos, mas com o meu coração." 


Apesar destes três terem maior impacto na história, contudo, temos vários outros personagens cativantes e que moldam os acontecimentos de forma fantástica. Acredito que Juliette ainda vai passar por uma grande transformação pessoal ao longo dos demais livros e todos terão seus papéis neste desenvolvimento da protagonista. Os cenários também merecem destaque especial ao serem narrados pelos olhos de uma pessoa que nunca viu este novo mundo pessoalmente. A narrativa dos ambientes é rica em detalhes, o que nos faz adentrar ainda mais na história e sentir na pele tudo o que Juliette está passando, naquele já mencionado conflito de emoções pelo qual ela começa a passar.

Preciso abrir um espaço aqui para parabenizar também o lindo trabalho feito na simples diagramação do livro. A capa é de uma beleza que encantou meus olhos desde sempre e que faz muito jus à história em si. A consistência do livro, a cor das páginas, todos os detalhes aos meus olhos foram muito agradáveis e apesar de simples, ele é um livro cujo conteúdo supera tudo. O livro é simplesmente recheado de citações maravilhosas, que eu optei por manter em inglês aqui na minha resenha, visto que foi assim que eu li e que na versão em português elas podem estar diferentes, mas adicionei pequenas traduções feitas por mim logo em seguida. Já adquiri os próximos e não vejo a hora de poder voltar ao mundo de Juliette novamente e me encantar ainda mais por esta história tão maravilhosa em cada detalhe.


Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.