[Resenha] - Interferências - Connie Willis


Editora: Suma
Lançamento: 2018
Original: Crosstalk
Páginas: 463
ISBN: 978-85-5651-057-0


"Interferências" é um livro de ficção científica que se passa em um futuro não muito distante, onde os avanços tecnológicos estão colocando empresas e mais empresas numa corrida para desbancar as concorrentes e serem as melhores no mercado. Briddey Flannigan trabalha em uma dessas empresas, onde seu namorado Trent está desesperadamente tentando criar um novo aparelho telefônico que seja superior à qualquer smartphone da Apple. Briddey e Trent são muito apaixonados um pelo outro, e é por isso que Briddey fica completamente animada ao ouvir do namorado a sugestão de fazerem um EED - um procedimento cirúrgico cada vez mais em alta pelo mundo, que aumenta a empatia entre os casais e faz com que desfrutem de uma conexão emocional ainda maior. 

A família de Briddey não é a favor deste procedimento, muito embora ele seja considerado totalmente seguro e eficaz. Ela e Trent seriam atendidos por um dos melhores médicos no ramo e Briddey está ansiosa para que chegue o dia da cirurgia. Afinal Trent prometeu casar-se com ela assim que a conexão fosse estabelecida entre eles e tudo seria maravilhoso. Mas as coisas não acontecem como Briddey imaginava: após acordar da cirurgia, ela percebe que está completa e inesperadamente ligada a uma outra pessoa, a qual nunca imaginou que poderia estar conectada.

O que Briddey sabia até o presente momento era que a conexão só poderia ser criada se houvesse qualquer tipo de ligação emocional entre as duas pessoas, e por causa disso ela se desespera. Como explicaria ao namorado que havia instantaneamente se conectado não com ele, mas com o maior esquisitão que eles conheciam no trabalho?

Quem disse que não dá para se comunicar quando está dormindo?, pensou ela, sorrindo, e voltou a dormir.



"Um romance verdadeiro, um livro no qual você gostaria de viver" foi a chamada publicada do Washington Post para este livro, e que me chamou muita atenção. E só posso começar dizendo o quanto fiquei feliz por ele fazer jus à esta frase. "Interferências" é um livro adorável em todos os sentidos possíveis. Ele possui uma narrativa em terceira pessoa muito leve e gostosa de ler, daquelas impossíveis de parar por muito tempo. A história toda é voltada para a nossa protagonista Briddey e as dificuldades de lidar com a inesperada conexão que se formou entre ela e C.B., seu colega de trabalho. Afinal, algo tinha que dar errado para a história acontecer! Ironicamente já tendo sido avisada sobre possíveis riscos do EED que ela pretendia fazer, Briddey conectou-se exatamente àquele que não poupou esforços para faze-la desistir da ideia de se submeter ao procedimento com o namorado. 

Eu senti muita firmeza por parte da autora ao escrever o livro, e isso foi um ponto positivo. Ela não se perdeu em parte alguma e soube muito bem criar cenas e diálogos que foram condizentes com tudo o que estava acontecendo no momento, sem deixar a história sem sentido. Connie Willis misturou diversos elementos diferentes que foram compondo muito bem toda a trama da obra e moldando uma história um tanto quanto singular. Eu nunca havia visto nenhum livro com essa temática, nesse estilo, seguindo este caminho. Foi um livro único.

"Retiro o que disse antes sobre não receber nenhuma emoção de você - disse ele - Acabei de receber... E nem sei como definir... esse sentimento incrivelmente intenso de amor vindo de você. - Ele a abraçou - Você percebe o que isso significa, meu amor?
Sim, pensou ela. Significa que meus problemas são maiores do que eu imaginava."

Os personagens são encantadores, a autora construiu todos muito bem. Ela soube colocar sentimento nos diálogos e situações, principalmente no que diz respeito aos momentos em que Briddey e C.B. estão em contato mental, e eu adorei a forma como Connie construiu este relacionamento entre eles. Ela se mostrou uma autora que sabe dosar as coisas, nada acontece rápido demais ao ponto de soar forçado, mas também não acontece devagar demais a ponto de entediar o leitor. 

Interferências é uma mescla perfeita de ficção científica, mistério e um romance bem leve que dá um contraste muito gracioso ao livro. E eu particularmente adoro esses livros que nos dão uma imagem muito real do mundo, com pessoas simples que não têm muito a ver uma com a outra, mas que formam um elo muito bonito de ver ao precisarem um do outro para conseguir superar as adversidades e os problemas. E ao mesmo tempo em que este é um livro cheio de diálogos inteligentes e provocações irônicas e divertidas, a autora não deixa ninguém impune - ela cria teias e mais teias de dúvidas na mente do leitor, de forma a fazer com que ele duvide de todo mundo até o final, até mesmo dos preferidos. E eu me senti muito satisfeita com tudo em relação à Interferências. Um desfecho um tanto interessante que me agradou mesmo sendo um final sem aquele ápice de euforia que muitos livros possuem, personagens maravilhosos que conquistaram um lugar muito especial na minha lista dos melhores e uma edição (essa capa! <3) que condiz e muito com toda a história do livro: simples e maravilhosa.  

Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.