[Resenha] - O cortador de pedras - Camilla Läckberg


Editora: Planeta
Lançamento: 2011
Original: The stonecutter
Gênero: Policial
Páginas: 447
ISBN: 978-85-7665-676-0

O clima de tranquilidade e sossego de Fjällbacka estava prestes a mudar naquela manhã. Ainda que já tenha visto um bom número de tragédias, a população da pequena cidade não estava preparada para a que viria a seguir. Em um dia comum de trabalho, um pescador encontra em alto mar, preso em sua rede de pesca, o corpo de uma garotinha. Logo que foi acionada, a polícia se dirige ao local e o detetive Patrik Hedström fica encarregado do caso.

Os exames logo indicam que a pequena Sara não sofreu um afogamento acidental e é tarefa de Patrik investigar quem poderia estar por trás do brutal assassinato de uma criança que era conhecida por ele e sua namorada, Erica, em um dos momentos mais sensíveis de sua vida: a filha deles acabara de nascer.

À medida que investiga os potenciais suspeitos do crime, fica-se cada vez mais evidente que não será um caso fácil. As pistas são escassas e ninguém parece ter visto nada no dia em que Sara morreu. Mas é quando uma ligação anônima revela algo que pode ser a chave para que a investigação caminhe na direção certa. O que ninguém sequer imagina é que é preciso averiguar o passado dos habitantes de Fjällbacka se quiserem responder à maior dúvida sobre a morte de Sara: que motivos alguém teria para fazer isso?




Pode parecer, mas não é exagero da minha parte dizer que Camilla Läckberg é a melhor autora de romances policiais que eu já conheci. "O cortador de pedras" é o terceiro livro da autora, cujos personagens são os únicos que seguem uma ordem cronológica. Os acontecimentos deste thriller psicológico brilhantemente desenvolvido ganham completamente a atenção do leitor e, mais importante que tudo, se interligam totalmente e terminam em um desfecho fantasticamente bem explicado, o que é o ponto chave de todo livro policial e que fez com que Camilla se tornasse a minha autora número um do gênero. 

A história tem como principal cenário de desenvolvimento o território sueco e suas cidades de nomes complicados. Em "O cortador de pedras", todo mínimo detalhe passa a ser importante e, embora alguns acontecimentos e cenas só façam sentido para aqueles que já leram os livros anteriores, isso não irá interferir de forma alguma no desenvolvimento do núcleo principal da história, que é a investigação do assassino da jovem Sara, filha de um casal amigo de Patrik e Erica.


Ele sempre pensou que situações nas quais crianças tinham sido vítimas de acidentes eram as piores coisas que um policial podia encontrar no trabalho. [...] Agora seu coração doía ao pensar na tarefa que estava à sua frente. Assim que a garota fosse identificada, eles teriam de destruir a vida dos pais dela.

Sob meu ponto de vista, este foi o livro da autora que mais explorou o lado sensível e psicológico por trás dos acontecimentos, não só por envolver um assassinato brutal de uma criança de aproximadamente dez anos, mas porque os personagens Erica e Patrik acabaram de ter uma filha, a pequena Maja, que no decorrer da trama está com apenas dois meses de vida. Não somente abrangendo a situação delicada que se cria quando há envolvimento com crianças, a autora também explorou com maestria temas diversificados que vão desde casamentos por obrigação, problemas neurológicos, abusos no casamento, machismo, inveja, intrigas e desprezo - e mesmo colocando tudo isso dentro de uma única história, Camilla Läckberg teve dom o suficiente para não se perder em ponto nenhum.

Os suspeitos são muitos e a autora soube revelar as pistas em seus momentos certos, deixando o leitor naquela dúvida que não permite desvendar o autor do crime antes das páginas finais, onde recebemos o impacto. Foram muitos personagens conhecidos em "O cortador de pedras" e mais do que colocar sentimentos nas páginas do livro, Camilla Läckberg soube desperta-los no leitor de forma viva e intensa. 

Camilla também trabalha muito bem a questão de mescla de tempo. Todo início de capítulo, ela nos apresenta uma sequência de acontecimentos passados que são imensamente importantes para o desenvolvimento da história e os detalhes que ela nos oferece merecem toda a atenção. E é lendo tudo o que ela escreve com tanta intensidade que o leitor pode ir juntando as peças e tentando adivinhar quem é o assassino junto com os personagens. Basicamente, eu sentia muita falta de vários elementos em livros policiais que me foram oferecidos nos livros dessa autora e, por isso que para mim, ela merece o posto de melhor escritora do gênero. Como eu mencionei anteriormente, a sequência de leitura dos livros não importa, pois cada um aborda um crime diferente, embora a vida dos personagens principais já tenha certa continuidade. Mas dos quatro livros dela que aqui já foram lançados, "O cortador de pedras" ainda é meu favorito e, se você assim como eu não se importa de começar lendo pelo terceiro livro, eu super recomendo a leitura dessa história.

Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.