[Resenha] - Minecraft: A Ilha - Max Brooks

Título original: MINECRAFT: THE ISLAND
Tradução: Mateus Duque Erthal
Páginas: 312
Formato: 14.00 X 21.00 cm
Peso: 0.342 kg
Acabamento: Brochura
Lançamento: 29/09/2017
ISBN: 9788556510495
Selo: Suma de Letras


Resultado de imagem para livro minecraft: a ilha


Você já se imaginou em uma ilha, onde literalmente tudo (inclusive você) é formado por cubos ? Além do fato de você não se lembrar quem é, onde está ou até mesmo porquê a gravidade não funciona como deveria. É exatamente isso que acontece no primeiro livro oficial do famoso game Minecraft chamado "Minecraft: A Ilha", escrito por Max Brooks. O protagonista do livro acorda em uma espécie de oceano em que ele se vê diante de uma ilha, onde é basicamente a sua única opção de sobrevivência. Ele não sabe quem é, mas de acordo com a descrição de sua aparência, nós percebemos que ele é o personagem padrão do jogo chamado Steve (assim como é mostrado na capa do livro).


Sabe a diferença entre ansiedade e medo? Eu não sabia, até aquele dia. Medo é uma ameaça real, presente, bem ali na sua cara. Ansiedade é causada por uma ameaça potencial, ou, naquele caso, futura. Podemos dominar o medo, mas a ansiedade nós só conseguimos suportar. E o foi o que eu fiz.

Steve começa a explorar a ilha, mas logo percebe que aquele não é o "mundo" que ele conhecia, porém ele também não se lembrava de como era sua vida antes de estar ali, ele simplesmente sabia que era um mundo diferente. Steve vai a procura de comida e abrigo, porém ele não sabe que monstros como zumbis, esqueletos com arco e flechas, aranhas gigantes e muitos outros aparecem durante à noite, sendo alguns dos diversos desafios que Steve tem que enfrentar. Ao decorrer da história, o protagonista vai se adaptando e aprendendo a viver naquele novo mundo estranho repleto de cubos, porém quanto mais ele descobre, mais dúvidas começam a surgir e coisas estranhas começam a acontecer, o que leva o protagonista a usar a sua criatividade construindo armaduras, equipamentos, fortalezas, entre muitos outros.


Eu já fui um jogador voraz de Minecraft, foi um dos games que eu mais me diverti jogando, tanto com amigos, quanto sozinho e é exatamente por isso que eu estava empolgado para ler este livro, pois a cada capítulo, muitas lembranças nostálgicas voltaram a minha memória, como ver o protagonista sofrendo para aprender todas as "regras e truques" que aquele mundo tem a oferecer, se parecendo muito com a primeira vez em que eu joguei. Vemos que cada capítulo possui um nome com uma "lição de vida" que o protagonista vai aprender em algum momento, pois são ensinamentos que servem tanto para o jogo, quanto para sua vida. A maneira que o autor representa os elementos do jogo é incrível, pois diversas vezes nós lemos um trecho que nos faz lembrar de alguma mecânica ou função do game, como um tipo de referência para o leitor.



Vou chamar de "mochila", mas não tinha nem alça nem nenhum tipo de gancho nem nada segurando-a no lugar. [...] Dentro da mochila, havia vinte e sete bolsinhos, parecidos com aqueles do cinto. Todos estavam completamente vazios. Bom, chega de ficar aqui fazendo esse inventário, pensei. 


Resultado de imagem para minecraft: a ilhaO livro apresenta pontos muito interessantes sobre o mundo de Minecraft, pois alguém já se perguntou por que quando nós usamos uma vara de pesca no mar, nós temos a chance de pegar um pedaço de armadura ou até mesmo um livro encantado ? Steve faz os mesmos questionamentos e ele mostra que pretende se esforçar muito para desvendar esses mistérios, porém seria quase impossível explorar detalhadamente todos os elementos do jogo em apenas um livro, por isso tivemos muitas coisas do jogo que acabaram não aparecendo, mas acredito que isso pode encaminhar uma futura continuação, talvez uma continuação se passando nas versões atuais do jogo, com mais desafios, recursos, monstros, e muito mais. Eu senti falta de mais personagens no livro, pois apesar do protagonista falar o tempo inteiro com seus amigos do reino animal, eles não são os maiores fãs de conversar, mas talvez isso possa mudar com a chegada dos novos aldeões do game, ou até mesmo novos personagens "jogáveis", como a segunda skin padrão do jogo do personagem Alex.


Não lembro onde, mas uma vez escutei que a definição de loucura é alguém fazendo exatamente a mesma coisa de novo e de novo, esperando que em algum momento o resultado seja diferente. Não sei se é assim mesmo para outras pessoas, mas para mim, estava bem perto da verdade.

Portanto, "Minecraft: A Ilha" é um ótimo livro para quem está procurando uma leitura divertida e descontraída, com um tom bem leve, mas com diversas cenas de ação nos momentos de aventura. Apresentando boas reflexões e uma mensagem muito legal para o leitor no final do livro, pois vemos todo o amadurecimento do protagonista, tanto como um "sobrevivente" quanto como pessoa. Super recomendo esse livro, principalmente para quem já jogou e é fã do jogo, mas garanto que se você nunca jogou, vai acabar se divertindo muito e pode até te dar uma vontade de dar uma chance para esse jogo incrível que já foi muito criticado pelos seus gráficos, o que nunca me incomodou muito, pois com o tempo você percebe que a parte visual é o que acaba dando o toque especial que somente o Minecraft sabe oferecer e esse livro consegue transmitir essa essência muito bem !!!


Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.