[Resenha] Me Conta Se Decidir Ficar – Júlia Rezende

Autora: Júlia Rezende

ASIN: B08QJP9WPT

Data de publicação: 19/12/2020

Idioma: Português

Número de páginas: 202 páginas

Autora Nacional Independente


 

Helena é uma garota que mora em Copacabana e está passando por um momento cheio de incertezas em sua vida, pois ela acabou de terminar com a sua namorada, Manuella Fernanda, que decidiu acabar com o relacionamento para poder ir para a faculdade sozinha e solteira. Por conta disso, Helena decide não ir para a faculdade naquele momento e passa os dias trabalhando no quiosque do seu avô de maneira automática e sem muita motivação. Enquanto isso, Peter é um garoto prodígio que estuda robótica na Universidade de Harvard, mas de repente encontra-se insatisfeito com a sua vida e decide partir, em um momento de desespero, para a sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

Quando Peter chega durante uma noite de carnaval, os dois personagens acabam se encontrando e depois disso, eles não esperam se ver de novo até que o destino faz com que seus caminhos se cruzem novamente. Depois que eles se conhecem, Peter acaba entrando em uma missão para fazer com que Helena supere seu término e ele se empenha muito para fazer isso, ao mesmo tempo que Helena decide ensinar o garoto a viver e a tomar as próprias decisões para que ele possa ter o controle de sua vida, por mais que isso envolva escolhas difíceis que ele terá que fazer.

Confesso que eu estava com medo de fazer essa resenha, pois esse não é um estilo de livro que eu costumo ler com muita frequência, mas exatamente por isso acabou sendo uma experiência interessante. Eu adorei os diálogos entre o Peter e a Helena, principalmente no início do livro, pois você percebe que eles são de mundos completamente diferentes. Enquanto a Helena é extrovertida, animada e gosta de sair com os amigos, o Peter é extremamente tímido, não sai muito de casa e passa boa parte do tempo livre jogando videogames. E na minha percepção, foi exatamente essa diferença que fez a amizade deles dar certo no começo, pois ambos entraram nessa aventura de tentar entender e ajudar o outro.

O livro conta com bastante representatividade e ele é cheio de crises existenciais (quem não ama, não é mesmo?!) com os dois personagens, mas eu acabei me identificando com alguns aspectos do Peter, então por conta disso, eu acabei me interessando bastante pelo lado dele na história. O livro é narrado em primeira pessoa, e eu senti que isso fez com que eu acabasse me conectando mais com os personagens principais por saber o que eles estavam sentindo em diversas situações. O livro possui uma vibe bem divertida de se ler, principalmente nos passeios pelo Rio de Janeiro. Isso me deu até uma sensação esquisita, pois me fez lembrar como o mundo era antes de todas as restrições da pandemia e o livro realmente te leva para aquela época, por isso acabou sendo um bom escape de tudo que estamos vivendo no momento.

Portanto, se você está com vontade de ler um romance divertido, com uma escrita bem fluida e relativamente curto que, ao mesmo tempo, sabe lidar com temas sérios e atuais, esse pode ser um livro excelente para você. Lembrando que se você não tem o costume de ler autores nacionais, essa é uma ótima oportunidade para começar!


Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.