[Novidades de Natal] - JK Rowling fala sobre Poções no Pottermore

Novidades de JK Rowling



É comum o questionamento se um trouxa conseguiria criar uma poção, se tivesse um livro de Poções e os ingredientes certos. A resposta, infelizmente, é não. Sempre é necessário algum elemento de trabalho com a varinha para preparar uma poção (adicionar meramente moscas mortas e asfódelo em uma panela sobre o fogo não vai te dar nada que não uma sopa com gosto desagradável, além de venenosa).

Algumas poções produzem os efeitos de feitiços e encantamentos, mas algumas outras (por exemplo, a Poção Polissuco e a Felix Felicis) têm efeitos impossíveis de se alcançar de outra forma. De um modo geral, bruxos e bruxas escolhem o método que consideram mais fácil, ou mais satisfatório, para produzir o fim desejado.

Poções não são para os impacientes, mas seus efeitos são difíceis de reverter por qualquer um que não um preparador de poções habilidoso. Esse ramo da magia carrega certo ar místico e, por conseguinte, status. Também tem o diferencial sombrio de manipulação de substâncias que são altamente perigosas. A ideia popular de um expert em poções na comunidade bruxa é a de alguém com personalidade contemplativa e controlada: Snape, na verdade, se encaixa perfeitamente no estereótipo.

Pensamentos de JK Rowling

Química era a matéria que eu menos gostava na escola e eu a larguei assim que pude. Naturalmente, quando eu estava tentando decidir qual a matéria que o arqui-inimigo de Harry, Severo Snape, deveria ensinar, tinha que ser um equivalente bruxo. Isso torna estranho o fato de que eu acho a introdução da matéria por Snape bem interessante (“Posso ensinar-lhes a engarrafar fama, a cozinhar glórias, até a zumbificar…”), aparentemente parte de mim acha Poções tão interessante quanto Snape acha; e eu sempre me diverti criando poções nos livros e procurando ingredientes para elas. Muitos dos componentes dos vários preparos e libações que Harry tem que criar para Snape existem (ou já se acreditou que existiam) e tem (ou já se acreditou que tinham) as propriedades que eu dei a eles. Por exemplo, ditamno realmente tem propriedades de cura (e é um anti-inflamatório, mas eu não recomendaria que você se estrunchasse para testá-lo); um bezoar realmente é uma massa retirada do intestino de um animal, e já se acreditou que beber a água onde foi depositado um bezoar poderia curá-lo de envenenamento.

Traduzido por: Juliana Torres em 14/12/2014.
Revisado por: Daniel Mählmann em 14/12/2014.

Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.