Quem é você, Alasca? - John Green

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".

“Se as pessoas fossem chuva, eu era a garoa, e ela um furacão!”

Trata-se de um livro escrito por Jonh Green que conta a história do garoto Miles Halter, um garoto magro, solitário, desprovido de amigos e da companhia de uma garota, fascinado pelas últimas palavras de pessoas à beira da morte. Quando ele encontra a frase derradeira do poeta François Rabelais – “Saio em busca de um Grande Talvez” -, toma uma súbita decisão. Então Miles vai para o Alabama estudar em  Culver Creek, uma escola interna onde seu pai estudou quando era adolescente. No colégio ele se torna amigo de Chip Martin, chamado por todos de o Coronel, um aluno mantido por uma bolsa de estudos e com um dom singular de guardar um número incrível de dados na memória. Sua principal característica é a aversão pelos ‘Guerreiros de Dia de Semana’, como são denominados os filhos da elite que aos finais de semana vão para as ricas residências de seus pais.
Quando Chip apresenta Miles aos amigo, é aí que ele conhece Alasca a garota de olhos verdes eletrizantes, cabelos ruivos, linda de morrer! Alasca tem alguns pontos em comum com Miles, entre eles o amor pela literatura, elemento que remete o leitor e o protagonista a uma frase de Simón Bolívar coletada em uma obra de Gabriel Garcia Marquez - o livro dileto de Alasca - não por acaso as últimas palavras do estadista: “Como sairei deste labirinto”?
Durante o livro você vai rir, chorar, se emocionar, QUEM É VOCÊ, ALASCA? É cheio de frases fortes, nele você irá aprender a importância de perdoar a si mesmo, a valorizar as amizades.

“Sempre me causava espanto perceber que eu não era a única pessoa no mundo que pensava e sentia essas coisas estranhas e horrorosas.” 
Mas por que Alasca?”, perguntei. 

Ela sorriu com o canto direito da boca. “Bem, depois eu descobri o que significava. É uma palavra de origem aleúte, Alyeska. Significa ‘aquilo em que o mar bate’, e eu adorei. Era grande, como eu queria ser.”

" Então, esse cara", eu disse, parado à porta da sala. " François Rabelais. Era poeta. Suas últimas palavras foram : ' Saio em busca de um Grande Talvez.' É por isso que estou indo embora. Para não ter de esperar a morte para procurar o Grande Talvez."
“E, enquanto o chuveiro gotejava e lentamente molhava meu corpo, imaginei se encontraria ali o Grande Talvez ou se tinha cometido um grande erro.”

Resenha por Andressa Rosa

4 comentários:

  1. SO CUTE! Todo mundo fala tão bem desse livro que mesmo não sendo fã de John Green tenho uma certa vontade de ler. Você acha que vale a pena, afinal de contas? É melhor do que A Culpa é das Estrelas, por exemplo?

    Samuka
    http://coupleliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Samuka, eu simplesmente amei ACEDE, não chorei, mas achei um livro maravilhoso.
      Vai muito da opinião de cada um né. Eu acho que vale a pena sim, você ler e tirar sua conclusão ;)

      Excluir
  2. "Quem é você, Alasca?" me fez chorar tanto quanto "A culpa é das estrelas" #ProntoFalei U_U

    ResponderExcluir
  3. ''A culpa é das estrelas'' é um livro muito fraco em relação ao que todos dizem, nada se compara com ''Quem é você , Alasca?'' Uma ótima leitura. Recomendo à todos .

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.