[Resenha] - Convergente - Verônica Roth

Não leia essa resenha se não tiver lido Divergente e Insurgente. 


As facções acabaram. Todos agora são sem facção e estão sob domínio de Evelyn, mãe que Tobias achava que estava morta. Tris está presa como traidora porque liberou o vídeo de Edith Prior. Enquanto isso, há um pequeno grupo que se intitula Convergentes que tem como objetivo restabelecer os sistemas de facções e descobrir o que tem depois da cerca. 
Como parte do plano dos Convergentes, Tris, Tobias, Christina, Tori, Cara, Peter e Uriah fogem para além da fronteira levando Caleb, que também foi a julgamento porém condenado a morte, mas Tris não poderia deixar seu irmão pra trás, mesmo ele tentando mata-la.
Ao chegarem do outro lado da fronteira os Convergentes descobrem uma guerra maior do que a que eles vivem. Os chamados anteriormente de Divergentes são conhecidos por Geneticamente Puros e o resto da população são os Geneticamente Deficientes, e o governo prega que os GD são violentos por causa da deficiência em seus genes e por isso causam as guerras. O plano maior é que a cada geração os GD sejam exterminados. 
Ao analisar os genes de Tris e Tobias, Matthew descobre que apenas Tris é GP, enquanto Quatro ainda tem os Genes Deficientes mesmo conseguindo manipular as simulações, e isso causa em Tobias uma sensação de ser uma pessoa incompleta. Atordoado por todas as novas informações Tobias acaba tomando decisões erradas que colocam a vida de amigos em risco, enquanto isso os Convergentes estão prontos para atacar a tirania de Evelyn, o que certamente causará muitas mortes. Em contrapartida os lideres do Centro estão decididos a apagar a memória de todos e restabelecer a paz pois dessa forma não estraga o experimento cientifico. 
Mas Tris, Tobias e os outros não querem que seus amigos e antigos vizinhos tenham suas memórias apagadas em prol de um experimento que eles não acreditam e por isso vão lutar com todas as armas que eles tem para salvar a cidade do Centro, de Evelyn e dos Convergentes. Mas para isso eles terão que correr contra o tempo pois o soro da morte está nas mãos erradas e quem o possui não tem medo de usá-lo.


Diferente de Divergente e Insurgente, Convergente é narrado ora por Tris e ora por Tobias, o que dificultou um pouco o entendimento já que tem momentos que não sabemos quem está narrando, não há uma mudança de personalidade na escrita. Além disso há momentos que Tobias está narrando e aparece frases no feminino, não sei se é erro da autora ou da tradutora. A verdade é que eu só li esse livro porque era continuação de uma estória que eu gostava, por isso quis saber o final. Se não fosse isso teria parado no começo. 

Confira: Divergente


Adquira agora mesmo os livros dessa trilogia através do site da Amazon.






6 comentários:

  1. Eu ainda não acredito que esse livro terminou dessa forma mesmo,fiquei destroçada ao terminar

    Portal do mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Lais. Eu também não gostei nada nada!!! Não me conformo! E não caiu nessa de que ela foi altrista não. ahhahahaa

      Excluir
  2. Amei a resenha! Eu amo os filmes e nunca li os livros, até fiquei com vontade de comprar mas cai na besteira de lê o resumo de convergente e odiei o final dele. http://keuleal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha não li os livros mais to acompanhando os filmes porque essa saga não me interessou tanto a ponto de ler... enfim sua resenha é ótima!
    http://desenhandocomcinthia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Não vi Convergente ainda, mas Insurgente foi bem diferente do livro! Mas tem sagas que acompanho só no cinema também, as vezes não bate aquela vontade de ler né?

      Excluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.