[Crítica] - Annabelle 2: a criação do mal


Annabelle 2: A criação do mal chegou esta semana aos cinemas brasileiros e eu, como boa fã de filmes sobrenaturais de terror, não poderia deixar de ir. Tendo dado cinco estrelas para os últimos filmes dirigidos por James Wan (Annabelle e Invocação do Mal 1 e 2), estava aguardando ansiosamente para que o novo filme fosse bom. E, bom... Foi e não foi. Mas vamos aos poucos.


O filme começa mostrando a vida que o Sr. e a Sra. Mullin tinham ao lado de sua filha, apresentada a nós primeiramente como "abelhinha". A família morava afastada de tudo, em uma casa de campo aconchegante e bonita, e tinha uma vida extremamente feliz, sendo o Sr. Mullin um artesão conhecido da região por sua produção de bonecas que eram sonho de consumo dos grandes vendedores das redondezas. Mas a felicidade da família não chega a durar muito, pois em um momento de descuido, a pequena menina sofre um terrível acidente.
Alguns anos depois, ainda abalados pela perda da filha, o casal resolve aceitar em sua casa, como forma de caridade, a freira Charlotte e seis jovens garotas de um orfanato que estão sob seus cuidados. Entre elas, está Janice, que apresenta dificuldades para andar. Em um primeiro momento, as meninas se apaixonam pela casa dos Mullin e tudo está perfeitamente bem.
Até que Janice, desobedecendo a uma ordem do Sr. Mullin de ficar longe de um cômodo específico, acaba encontrando o quarto que há vinte anos pertenceu à filha do casal e juntamente com ele, uma boneca de vestido branco trancada dentro de um armário. E a partir deste ato inocente, as coisas começam a mudar.

Annabelle: a criação do mal, como o próprio título já diz, vem a apresentar a nós como tudo começou. De onde surgiu a tão horripilante boneca que se fez presente em todos os filmes relacionados da franquia e que povoa o pesadelo de muitos. Ao contrário do que muitos pensam, este filme não é uma continuação, mas um prelúdio do filme anterior. No começo, Annabelle nada mais era do que uma boneca comum, feita como qualquer outra, e um tanto inofensiva. Mas, como na maioria dos filmes de terror sobrenaturais, os problemas começam a aparecer a partir do momento em que um erro grave é cometido, a boneca tornou-se um canal, uma forma de uma entidade ruim assumir o controle da situação. Assustados com o erro que cometeram ao tentar trazer de volta sua filha (não me aprofundo nesta parte, mas até aqui não há nenhum spoiler - essa informação aparece no próprio trailer do filme), os Mullin trancam a boneca em um armário e nunca mais olham para ela novamente.


Assim como nos demais filmes, fica muito claro o modo como o mal pode se passar por algo inocente para conseguir o que quer. A aproximação fingindo ser algo que não é, a apropriação de uma alma e o terror psicológico. Neste contexto, o filme ficou dentro das minhas expectativas, não deixando a desejar. Mas ao mesmo tempo em que o filme mantinha aquela aura de suspense e aflição por não saber o que esperar do momento seguinte, certas cenas acabaram ficando forçadas demais. As cenas então acabaram ficando meio 8 ou 80 para mim. Ou foram assustadoras o suficiente, ou não causaram impacto quase nenhum, tendo essas assumido um ar quase fantasioso que fugiu um pouco da realidade e deixou o filme mais para um terror mais clássico e comum do que um terror sobrenatural condizente com seus antecessores. 

A forma como os filmes se entrelaçam contudo, foi um ponto que foi muito bem desenvolvido. A forma como os produtores do filme interligam este ao primeiro Annabelle não deixou a desejar e não deixou pontas soltas entre os dois filmes, mesmo este tendo se passado antes do primeiro. Vê-se claramente que a ligação entre eles já foi pensada há bastante tempo e isso eu achei um ponto extremamente positivo. Mas ainda assim, Annabelle 2 não superou seu antecessor. No geral, gostei do enredo e do desenvolvimento da história, mas para mim foi um daqueles filmes que ter visto uma vez só já bastou, não fica aquela vontade de assistir novamente para captar mais detalhes - e nem tenho vontade de adquirir para a coleção. Mas ainda assim, para quem está a fim de levar uns bons sustos no cinema, o filme ainda é uma excelente pedida.  

Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.