[Resenha] - O problema do para sempre - Jennifer L. Armentrout


Editora: Galera Record
Lançamento: 2017
Original: The problem with forever
Paginas: 388
ISBN: 978-85-01-11005-3

Mallory teve uma infância difícil. Vivendo em um ambiente onde o menor de seus erros poderia lhe causar grandes problemas, Mallory aprendeu que a melhor forma de sobreviver seria permanecer em silêncio. E foi assim que ela viveu por muito tempo, até ser adotada por Carl e Rosa, um casal de médicos que a trata com todo o amor e carinho. Mas o passado sombrio da garota não desaparece de um momento para o outro, e a influência de tudo o que sofreu ainda se faz muito presente. Por conta disso, Mallory passou os últimos quatro anos de sua vida frequentando terapeutas regularmente e estudando em casa. Mas agora chegou a hora de mudar. Mallory quer ir para uma faculdade, e para isso ela precisa enfrentar um colégio de verdade. Um lugar cheio de colegas e professores, que exigirá dela uma intensa mudança para se adaptar ao mundo. 
O que ela não esperava jamais era, logo em seu primeiro dia de aula, reencontrar Rider, a única outra pessoa que conviveu com ela na infância, no mesmo ambiente sofredor, e que a protegia de corpo e alma quando pequena. Ainda que há quatro anos separados, a conexão dos dois volta com toda a força neste reencontro e Mallory fica aliviada por ver seu único amigo de infância - sinal de que ele sobreviveu, assim como ela. Mas logo Mallory começa a perceber que a expressão feliz e tranquila de Rider serve apenas para esconder algo muito pior enraizado dentro dele. Talvez as cicatrizes deste passado sombrio sejam algo do qual Rider nunca se recuperou, e Mallory precisa encontrar a própria voz para desta vez, conseguir salvar aquele que sempre esteve lá por ela.

Às vezes você fica tão presa na própria cabeça que não... Bem, você não vive de verdade. [...] é só que às vezes acho que você perde o que está acontecendo ao seu redor, porque está preocupada demais com o que os outros estão pensando sobre você e suas escolhas.


"O problema do para sempre" foi, sem sombra de dúvidas, um dos livros mais profundos e fortes sobre as dificuldades da vida que eu li este ano. A infância cruel sob seu ponto de vista nos mostra exatamente como os maus tratos podem permanecer enraizados dentro de nós por toda a vida. Mesmo após receber muito amor e carinho, Mallory tinha problemas em se relacionar com os outros e medo das consequências por causa do seu psicológico abalado e parcialmente destruído, resultado de anos de sofrimento intenso quando criança. Por isso que, quando ela reencontra Rider, não consegue compreender direito como ele não parece possuir nenhum problema em relação ao que aconteceu com eles quando pequenos. Rider parece confiante e feliz na maioria do tempo, mas a medida que vão se reaproximando, Mallory percebe que talvez ele esteja pior do que ela, pois Rider esconde muitos segredos sobre o que aconteceu com ele depois que Mallory foi adotada. 

Carl e Rosa são dois personagens profundos que também adorei conhecer, pois são a perfeita representação dos pais amorosos que se orgulham dos progressos feitos pela filha adotiva, pois sabem de seu passado e oferecem todo amor e apoio que ela precisa. Mallory passa a ver o mundo de forma diferente com o desenrolar do livro e é uma personagem que evolui muito durante a narrativa, o que me fez gostar muito dela. Todos temos nossas dificuldades, mas é a forma com que lidamos com elas que define quem somos, e Mallory foi um belo exemplo de vida para mim. A forma como ela cresceu e se mostrou forte perante seus maiores medos nos mostra que todos temos, sim, capacidade suficiente para vencer na vida. Sem duvidas que Mallory e Rider representam os dois tipos diferentes de lidar com este determinado assunto - os que se mostram mais abalados e aos poucos vão se recuperando novamente, e aqueles que não demonstram seus sentimentos, mas por dentro são os que mais precisam de alguma ajuda.

Nós todos acreditamos ter a garantia de que as coisas que amamos vão durar para sempre. Mas o problema do para sempre é que ele realmente não existe.

Por muitas vezes, acreditamos que o sofrimento das pessoas não passa de frescura, mas a verdade é que nunca vamos saber com exatidão o que se passa dentro do coração dos outros e torna-se essencial que estejamos lá para dar apoio e sustentação ao invés de criticar, pois para alguém, talvez sejamos nós o único ponto de apoio que impede o outro de se despedaçar. O relacionamento de Mallory e Rider ao longo do tempo foi encantador, duas almas que criaram uma conexão intensa e que estão ali para ajudar um ao outro nos piores momentos. O livro aborda situações conflitantes, mas principalmente, acima de tudo, nos ensina como realmente deveríamos ser. Como deveríamos sempre estar por perto para quem precisa de nós, não somente nos bons, mas principalmente nos maus momentos. "O problema do para sempre" foi para mim uma leitura grandiosa que muito acrescentou na minha vida. Um livro que deve ser lido com outros olhos e com o coração para aprendermos mais sobre o modo como nos relacionamos com as pessoas e assim como Mallory, encontrar um meio de evoluir. 





2 comentários:

  1. Que resenha mais linda! Já li outro livro da autora e gostei muito da forma como ela aborda temas pesados, e com certeza vou adicionar essa obra na lista de futuras leituras. Acho maravilhoso quando os livros que lemos nos dão lições de vida, tenho certeza que irei gostar.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Miriã! Fico feliz que tenha gostado!
    O livro é muito lindo mesmo e eu fiquei encantada desde o momento que o vi na livraria, até porque eu adoro essa autora também. Virou uma das minhas preferidas, pelo jeito único com que ela aborda qualquer tema que decida escrever sobre.
    Pelas coisas que você disse, tenho certeza que vai amar o livro!
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.