[Resenha] Batman: Cavaleiro Branco - Sean Murphy

Título original: Batman: White Knight
Autor: Sean Murphy
Minissérie: Mensal
Tipo de Produto: Revista 
Segmentos: Comics 
Marcas: DC 
Check-List: Agosto/2018 
Número de páginas: 224  
Lombada/Encadernação: Canoa 
Tipo de capa: Cartão
 
 Batman: White Knight 
 

Batman: Cavaleiro Branco é uma minissérie de oito edições lançada pela DC Comics, onde Gotham tentará levar à justiça o homem mais perigoso da cidade, mais conhecido como Batman! Depois de tantos anos com inúmeros confrontos entre o Batman e o Coringa, o palhaço do crime escapa do asilo Arkham mais uma vez e sai pelas ruas de Gotham causando destruição por onde passa ao ser perseguido pelo Cavaleiro das Trevas em seu batmóvel. Ao chegarem em uma indústria química, Batman parte para cima do Coringa na frente dos policiais enquanto o palhaço insinua que o verdadeiro vilão da cidade é o próprio Homem Morcego, pois ele é o responsável por todos os combates que levaram à destruição da cidade sem se preocupar em reconstruir. Ao ouvir isso, Batman perde o controle e obriga o Coringa a engolir uma porção de drogas experimentais que estavam sendo feitas na indústria, mas Batman não sabia que tudo estava sendo gravado.

 

Dias após esse incidente, o Coringa acaba se recuperando dos ferimentos físicos causados pelo vigilante, mas ao contrário do que se esperava, aquelas drogas que ele consumiu acabaram curando sua insanidade, ele não era mais um maníaco que gostava de provocar o caos, mas havia voltado a ser um homem completamente são. Como se não fosse surpreendente o bastante, ele provou ser um homem muito inteligente alcançando um nível gênio nos testes de QI feitos por psiquiatras. Portanto, o Coringa havia partido e o grande intelectual Jack Napier havia retornado a Gotham para fazer justiça como o Cavaleiro Branco. Napier logo consegue sair da cadeia de forma legal e promete processar o Batman por toda a destruição que ele causou durante tantos anos e por fazer justiça com as próprias mãos sem a interferência da polícia, que acabou se aliando ao vigilante.

 

 Eu amo Gotham, e está na hora de eu pagar a dívida que tenho por causa do Coringa. A cidade merece coisas melhores do que o Cavaleiro das Trevas, o Coringa e você. Logo, serei o Cavaleiro Branco dela.
 
 

Quando eu li a sinopse dessa minissérie, eu havia achado interessante logo de cara, mas confesso que estava com um receio de acabarem estragando a história desses dois personagens icônicos, mas logo me acalmei quando vi que essa minissérie não faz parte do universo canônico da DC. Logo, você não precisa ter lido absolutamente nenhuma outra HQ do Homem Morcego para entender essa história. Por outro lado, os oito volumes são super carregados de referências do universo do Batman das mais diversas mídias, como a aclamada trilogia do Christopher Nolan, Batman: A Série Animada, os jogos da série Arkham e muitos outros. Um detalhe que eu gostei muito dessa HQ é que, diferente da maioria das HQs do Batman, ela apresenta dois protagonistas de lados opostos e, conforme a história se desenvolve, nós vamos acompanhando os dois pontos de vista e a minissérie acaba se tornando uma espécie de Guerra Civil do universo Batman que, inclusive, faz o leitor se questionar e escolher um dos lados.

 

Batman: White Knight

Nós contamos com a presença de alguns parceiros icônicos do Batman que aparecem logo na primeira edição como Batgirl, Asa Noturna, comissário Gordon, entretanto, alguns podem não estar exatamente na forma que conhecemos, pois o autor Sean Gordon Murphy resolveu alterar alguns detalhes da mitologia do Batman para deixar a história mais interessante e, conforme vamos lendo, acontecem grandes revelações que eu gostei muito, pois isso tornou a leitura muito mais dinâmica e prendeu a minha atenção e, por conta disso, a história possui várias reviravoltas que vão deixar o leitor de queixo caído. O Jack Napier, que é praticamente um novo personagem, se tornou o meu preferido desta minissérie, pois ele é simplesmente sensacional, você acaba adquirindo um certa empatia por ele, mesmo com todo o caos que "ele" causou e em diversos momentos você vai notando que ele é um excelente estrategista quando se trata de leis e de conhecer o Batman. Me arrisco a dizer que depois do Alfred, ninguém conhece o Batman melhor do que seu arqui-inimigo.

 

Os traços desta HQ estão impecáveis, o Sean Murphy realmente caprichou nesta edição, pois ela combina perfeitamente com o tom sombrio do universo do Batman. Inclusive, destaque para os cenários de Gotham e para os uniformes dos personagens que receberam um sutil estilo punk como as luvas de meio dedo usadas pelos vigilantes. Portanto, como você deve ter percebido, eu gostei muito desta minissérie, pois ela apresenta características muito semelhantes com a HQ Batman: O Cavaleiro das Trevas, que é considerada por muitos (inclusive eu) uma obra prima quando se trata de encadernados do Batman, pois ambas apresentam início, meio e fim não apenas para essa história, mas para toda a mitologia do Homem Morcego.

 

Os carcereiros nos convenceram de que Gotham era uma cidade especial com problemas especiais. Por isso o processo nunca funcionou, e por anos baixamos a cabeça para esse pacto que fizeram de transformar este município na cidade do medo, onde a corrupção está espalhada pelos quatro cantos... Um lugar onde o vigilantismo é normal.

 

 

Nenhum comentário

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.