[Pottermore] - Quarto Conto: América Mágica de 1920


Olá pessoal!
Estamos aqui trazendo para vocês o quarto e último conto sobre a História da Magia na América do Norte!
Se você não viu os demais, é só clicar aqui para ver o Primeiro Conto, o Segundo Conto e o Terceiro Conto
Preparados?


Quarto Conto: América Mágica de 1920

Os bruxos da América tinham feito a sua parte na Grande Guerra de 1914-1918, mesmo que a esmagadora maioria de seus compatriotas No-Majs fossem ignorantes a respeito de sua contribuição. Como não haviam facções mágicas de ambos os lados, seus esforços não foram decisivos, mas eles conquistaram muitas vitórias com a prevenção da perda adicional de vida e derrotando seus inimigos.

Este esforço conjunto não mudou a posição da MACUSA em relação à confraternização entre bruxos e No-Majs e a Lei de Rappaport permaneceu firmemente em seu lugar. Por volta de 1920, a comunidade bruxa norte-americana tinha se acostumado mais à uma existência sigilosa do que seus semelhantes europeus e à escolher seus companheiros estritamente dentro de sua própria raça.

A memória da violação catastrófica ao Estatuto de Sigilo por Dorcus Twelvetrees acabou entrando no vocabulário mágico, de modo que ser "um Dorcus" era uma gíria para uma pessoa idiota e incapaz. A MACUSA continuou impondo severas sanções a quem desrespeitasse o Estatuto Internacional de Sigilo. A MACUSA também foi mais intolerante em relação à fenômenos mágicos como fantasmas, poltergeists e criaturas fantásticas do que em relação aos seus semelhantes europeus, por causa dos riscos que esses animais e espíritos ofereciam de alertar aos No-Majs sobre a existência de magia.

Após a Grande Rebelião de Pés-Grandes de 1892 (para mais detalhes, veja o livro altamente aclamado de Ortiz O'Flaherty, "Big Foot's Last Stand"*), a sede da MACUSA foi transferida pela quinta vez em sua história, passando de Washington à Nova York, onde permaneceu durante toda a década de 1920. A presente da MACUSA ao longo desta década foi a senhora Seraphina Picquery, uma dotada bruxa famosa de Savannah.

Por volta de 1920, a Escola de Magia e Bruxaria Ilvermorny havia sido florescente por mais de dois séculos e foi amplamente considerada como um dos maiores estabelecimentos de ensinos mágicos do mundo. Em consequência de sua educação comum, todos os bruxos e bruxas são proficientes no uso de uma varinha.

A Legislação introduzida no final do século 19 significou que todos os membros da comunidade mágica na América fossem obrigados a obter uma "varinha permitida", uma medida que tinha a intenção de manter o controle sobre todas as atividades mágicas e identificar os autores por suas varinhas. Ao contrário do Reino Unido, onde Olivaras foi considerado imbatível, o continente americano foi servido por quatro grandes fabricantes de varinhas.

Shikoba Wolfe, que era descendente de Choctaw, ficou principalmente famosa por esculpir varinhas contendo penas da cauda de Thunderbirds (pássaro mágico americano que possui ligação com a Fênix). As varinhas Wolfe eram geralmente consideradas extremamente poderosas, embora difíceis de dominar. Elas foram particularmente apreciadas pelos Transfiguradores.

Johannes Jonker, uma bruxa nascida trouxa cujo pai No-Maj era um marceneiro talentoso, transformou-se em uma fabricante de varinhas talentosa. Suas varinhas foram muito procuradas e eram imediatamente reconhecidas, por serem geralmente embutidas em madrepérola. Depois de experimentos com muitos núcleos, o material mágico preferido de Jonker era pelo do Wampus Cat**

Thiago Quintana causou murmúrios através do mundo mágico quando suas elegantes e compridas varinhas começaram a entrar no mercado, cada uma possuindo um espinho translúcido das costas dos Monstros do Rio Branco do Arkansas e produzindo feitiços com força e elegância. Os temores em relação à pesca dos monstros foram amenizados quando foi comprovado que Quintana, e somente ele, conhecia o segredo de atraí-los, um segredo que ele guardaria zelosamente até sua morte, quando as varinhas contendo as espinhas dos Monstros do Rio Branco não fossem mais produzidas. 

Violetta Beauvais, a famosa fabricante de varinhas de New Orleans, recusou-se por muitos anos a divulgar o segredo do núcleo de suas varinhas, que eram sempre feitos com madeira de pântano. Eventualmente foi descoberto que elas continham pelos de Rougarou, o perigoso monstro com cabeça de cachorro que rondava os pântanos de Louisiana. Foram ditas muitas vezes que as varinhas de Beauvais atraíam a magia negra como os vampiros são atraídos por sangue, mas um herói bruxo americano da década de 1920 foi para uma batalha armado apenas com uma varinha Beauvais, e a própria presidente Picquery era conhecida por possuir uma.

Ao contrário da comunidade No-Maj da década de 1920, a MACUSA permitia que bruxos e bruxas ingerissem álcool. Muitos críticos dessa política alegavam que o álcool fazia com que bruxos e bruxas se mostrassem em cidades cheias de No-Majs sóbrios. No entanto, em um de seus raros momentos de despreocupação, a presidente Picquery foi ouvida dizendo que ser um bruxo na América já era bastante difícil. "A 'Água de riso' ", como ela famosamente disse para seu Chefe do Gabinete, "não é negociável". 

Traduzido por: Marina

* Algo como "o último pé grande".
** Wampus Cat é uma criatura folclórica norte-americana, metade mulher, metade gato montês, que assombra as florestas.

-----------*-----------

E aí, pessoal?
O que acharam do último conto!? E da história inteira? Eu adorei!
Não esqueçam de deixar seus comentários abaixo!
Até a próxima! E que venham mais contos como esses!

5 comentários:

  1. Oi,
    Amei o conto, ainda não tinha lido! Amo tudo relacionado a Harry Potter. Estou com muita ansiedade para o filme Animais fantarticos e onde habitam
    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michael!
      Também amo Harry Potter! Você viu os demais? Um melhor que o outro!! Fiquei encantada com eles, porque só mostram que a imaginação da J.K. em relação ao mundo de Harry Potter simplesmente não tem limites! Espero que muitos contos ainda sejam escritos!
      E que Animais Fantásticos e Onde Habitam chegue logooo! <3 <3
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá Marina!
    Preciso parar e ler todos os contos, ainda não consegui ler nenhum :'( parecem ótimos!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thalita!
      São ótimos, sim! Assim que tiver a oportunidade, não deixe de ler, você vai amar! rs

      Beijos

      Excluir
  3. JK é sensacional, ela sempre nos surpreendendo e nos dados maiores detalhes sobre o mundo bruxo. Obrigada aos adm's do blog por postarem esses textos na integra pra nós fãs. #sucesso

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão! Volte sempre! :)

© Blog Leitura Virtual - Por Carol Mariotti - Todos os direitos reservado. Cópia proibida. Tecnologia do Blogger.